A vida de Perseu era muito interessante, cheia de aventuras. Ele era o filho do deus Zeus e Dânae.

Sua reputação e caráter rapidamente o transformaram em um herói local de Argos (um lugar em Peloponeso, na Grécia). Acrísio, o avô de Perseu, perguntou a um oráculo se ele alguma vez teria filhos; a resposta que ele obteve foi chocante e levou-o a viver uma vida de paranoia.

Ele foi informado de que sua filha teria um filho que eventualmente o mataria. Acrísio, conduzido pela força do medo, manteve sua filha Dânae presa em uma caverna subterrânea com paredes de latão. No entanto, o poderoso Zeus, que tinha um olho para a beleza e um jeito com as mulheres que poucos ousavam competir, já havia visto a linda donzela.

Ele se transformou em uma chuva dourada e entrou na caverna onde Dânae era mantida. Através de sua união, Dânae deu à luz um bebê, que conseguiu manter em segredo por algum tempo.

Porém, não demorou muito para que seu pai irritado descobrisse sobre o bebê. Ele se recusou a acreditar que Zeus tinha algo a ver com isso, então ele condenou a enfermeira de Dânae, pois ele acreditava que ela havia orquestrado esse caso.

Aventuras de Perseu
Ele pensou em matar seu próprio neto, mas sua culpa não o deixaria. Desesperadamente buscando uma solução que não representaria perigo para sua vida, ele decidiu. Ele tinha uma arca de madeira construída para sua filha e seu neto, e imediatamente ordenou que os dois fossem colocados nela e se pusessem à deriva no mar.

Dias e noites se passaram, Dânae e seu bebê sobreviveram. Eventualmente, a arca de madeira foi parar na ilha de Sérifos. Lá, um pescador chamado Dictes, que era o irmão de Polidecto, o governante da ilha, encontrou a arca.

Ele gentilmente levou o jovem Perseu e sua mãe e compartilhou sua casa com eles.

Durante este tempo, Perseu tornou-se um homem forte e valente abençoado com muitos talentos, sem dúvida o resultado da graça de Deus. No entanto, Polidecto se apaixonou por Dânae, e Perseu, querendo protegê-la, manteve sua mãe sob guarda o tempo todo.

Então, Polidecto elaborou um plano; ele convidou alguns amigos para o jantar e perguntou-lhes que presente eles o traria se ele alguma vez pedisse um. Perseu respondeu que se fosse necessário, ele levaria a cabeça de Medusa, a Górgona, para ele; Medusa era um monstro temível, que transformava em pedra qualquer pessoa que a olhasse nos olhos.

O Rei concordou e pediu a Perseu para lhe trazer a cabeça da Medusa, caso contrário, ele tomaria sua mãe pela força.

Perseu empreendeu sua aventura para obter a cabeça de Medusa. Os deuses, é claro, que gostavam de intervir nos assuntos dos mortais, não deixariam Perseu indefeso.

Athena e Hermes começaram a ajudar Perseu com esse desafio. Com sua inteligência e perspicácia, Perseu conseguiu enganar as ninfas. Eles lhe deram sandálias aladas, então ele podia voar acima do chão; um saco, para que ele pudesse levar a cabeça da Medusa; e o capacete de Hades, o que o tornaria invisível.

Usando as sandálias aladas, Perseu voou acima de Medusa, olhando apenas seu reflexo usando o escudo brilhante que Athena lhe havia dado. Invisível graças ao capacete de Hades, Perseu cortou a cabeça da Medusa, colocou-a no saco e voltou para casa.

Ao voltar para casa, conheceu Andrômeda a quem ele salvou de um monstro marinho. Eles rapidamente se apaixonaram e decidiram se casar. No entanto, o tio de Andrómeda, que a queria para si mesmo, discordou e conspirou para matar Perseu. Ter a cabeça de Medusa deu a Perseu uma grande vantagem.

Ele tirou a cabeça e assim que o tio de Andrómeda a olhou, ele se transformou em pedra. Quando Perseu chegou em casa, ele fez o mesmo com Polidecto, que estava perseguindo a mãe de Perseu.

O que aconteceu, no entanto com Acrísio, o avô de Perseu?

Ao ouvir as realizações de Perseu, ele fugiu para muito longe, mas isso não foi suficiente para escapar de seu destino. Ele participava de uma cerimônia de jogos na cidade de Larissa, que foi organizada pelo rei Tentâmides. Perseu também participava do evento; quando foi sua vez de jogar o disco, ele escorregou de sua mão e bateu na cabeça de seu avô, matando-o.

Quando Perseu descobriu que ele havia matado seu avô, ele ficou profundamente triste e ele o enterrou com honra.