"Quanto mais o Nilo transborda. Quanto mais promete: a medida que diminui o semeador. Sobre o lodo e o limo espalha seu grão. E logo chega a colheita" - SHAKSPERE

Que se diga mais uma vez - a história de como este grande rio, às vezes tão raso e vagaroso que uma criança atravessaria com segurança, se transforma em um poderoso mar que se derrama no oceano, com uma força que nenhum homem pode conter.

A fonte do Nilo era um mistério tão grande para os homens da antiguidade quanto a razão de seu dilúvio anual. Então, como não conseguiram descobrir onde este grande rio surgia, eles disseram que ele deve surgir no Paraíso, que ele deve fluir através de regiões em chamas, passar por um mar e finalmente atravessar o Egito.

A História da Inundação do Nilo

A inundação anual eles explicaram a si mesmos dizendo que era causada por Ísis, a deusa egípcia, lamentando por seu irmão Osíris. Todo ano, em meados de junho, ela deixava cair uma lágrima pelo grande deus do Nilo, e de repente o rio inundava e descia sobre a terra. Essa velha história tem durado por todos os tempos, e até hoje as pessoas no Egito dizem que uma queda do céu cai durante a noite de 18 de junho e causa a inundação do Nilo. Essa noite é conhecida como a "noite da gota".

Durante os meses de abril, maio e junho, o rio Nilo cai e cai. Os campos de ambos os lados estão ressecados e secos; o ar está cheio de poeira. As árvores não têm folhas, as planícies estão rachadas; o homem e a fera também definham. E durante todo o dia, o sol ardente, protegido pela mais leve nuvem, marcha impiedosamente por um céu do mais profundo azul. Conforme a estação avança, a ansiedade se torna intensa.

"O rio vai subir bem este ano?" pergunta os homens com cara de bronze um ao outro. "Não é tarde já?"

Um ano de abundância ou um ano de fome costumava aguentar esse misterioso crescimento. Por fim, o dia amanhece quando surgem notícias ao longo das margens do rio: "O Nilo está subindo um pouco, perto de sua nascente". Lentamente - muito lentamente a princípio, e depois com velocidade cada vez maior - a água se arrasta pelas margens. Gradualmente a corrente acelera e a água se torna uma cor mais profunda. Tornou-se agora um poderoso riacho contra o qual nenhum homem poderia nadar, enquanto ele gira e ruge ao longo do mar.

E, no entanto, nem uma gota de chuva caiu, nenhuma nuvem cruzou o céu, nenhuma tempestade invadiu a terra. São às chuvas tropicais a cerca de dois mil quilômetros de distância que esse tumulto de águas se deve. Em setembro o país é um enorme lago, toda a terra é uma terra de rios, como antigamente era uma terra de poeira. O espírito dos homens se eleva com a subida das águas, os animais se regozijam nesta primeira necessidade da vida, homens e meninos de pele morena mergulham de prazer no fluxo vivificante. Todos estão felizes e contentes. Pois será um ano de abundância para o Egito.

Com o passar dos meses de setembro, o rio começa a cair. Seu trabalho está feito. Em pouco tempo está fluindo entre suas margens como de costume, serpenteando pela longa e quente terra até o Grande Mar - o "Muito Verde", como os homens do Egito a chamavam.

Nós sabemos muito sobre as fontes do Nilo agora, embora tenham se passado muitos séculos antes das descobertas serem feitas. Em Khartum - conhecido na história pela famosa defesa e morte de Gordon - o grande rio se divide em dois galhos, um chamado Nilo Azul, o outro conhecido como o Nilo Branco.

Foi em 1770 que um explorador escocês chamado James Bruce chegou às nascentes do Nilo Azul, no alto das planícies que coroavam as montanhas da Abissínia. Ele contou tais histórias maravilhosas em seu retorno para casa de tudo que ele tinha visto e ouvido que as pessoas não acreditavam nele. Mas agora sabemos que tudo o que ele disse era perfeitamente verdade. Não foi até 1858 que dois ingleses descobriram a fonte do Nilo Branco no Lago Vitória.

Mas aconteceu anos atrás que as chuvas tropicais às vezes falhavam; a inundação do Nilo era muito pobre, a terra seca permanecia ressequida e rachada, e a fome era o resultado. Portanto, era muito importante para os antigos reis do Egito se o Nilo se encheria bem ou não.

A fome atual é impossível, devido aos diques, canais e represas que foram arranjados para manter a água, caso o Nilo não encha bem.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem