"Governador sobre toda a terra do Egito" – Gênesis 45. 26

Houve mudanças no Egito desde os dias de Abraão. A longa fila de reis nativos chegou ao fim, e alguns novos governantes ou faraós surgiram, conhecidos como "reis pastores". Foi durante o reinado de um desses reis pastores que José foi vendido ao Egito. Havia muita guerra também no país, e agora a área de terra dos egípcios era muito maior do que antigamente, e uma maravilhosa nova cidade chamada Tebas fora construída no Nilo, a certa distância de Memphis.

José no Egito

Ora, esses faraós que dominavam o Egito eram considerados grandes homens e eram tratados com grande pompa e dignidade. As antigas tábuas e monumentos nos dizem, em suas pitorescas histórias, quão esplêndidas eram as cortes desses reis e como todos os homens se curvavam diante deles. Contam-nos histórias da casa do rei: de seus muitos servos, dos barbeiros e perfumistas reais, dos sapateiros, dos alfaiates; dos que presidiam o linho real das lavadeiras que o lavavam no rio Nilo. Eles nos falam das tropas de músicos, cantores, dançarinos, cozinheiros, mordomos, padeiros e mágicos.

Os egípcios de antigamente desenhavam figuras mostrando como os faraós recebiam impostos do povo, não em dinheiro, pois não usavam dinheiro naqueles dias, mas em frutas, bois ou grãos. E havia prédios ligados ao palácio real em Memphis: havia o depósito de grãos, o depósito de frutas e o armazém branco, onde eram guardados animais e joias.

Então os faraós eram muito ricos e poderosos, e faziam o que quisessem com seus reinos. José teria ouvido tudo sobre o governante do Egito de seu mestre, mas sendo ele próprio um escravo, ele não teria chance de vê-lo.

Agora, uma vez que estava no Egito, José mostrara-se muito inteligente em explicar sonhos, e esse fato chegava aos ouvidos do grande faraó, que estava intrigado com um estranho sonho que tivera ultimamente.

Então ele mandou chamar o jovem servo hebreu e José se apresentou diante do faraó.

"Eu sonhei um sonho", disse o grande rei, "e não há ninguém que possa interpretá-lo: e ouvi dizer de ti que podes compreender um sonho para o interpretar".

Deve ter sido um grande momento para o jovem estrangeiro de Canaã ao ouvir o sonho do Faraó, mas sua fama não foi para o exterior em vão. Ele entendeu o sonho e disse ao faraó:

"Eis que vêm sete anos de grande fartura em toda a terra do Egito; e após eles surgirão sete anos de fome, e toda a abundância será esquecida na terra do Egito; e a fome consumirá a terra; e a abundância não será conhecida na terra por causa da fome que segue, porque será muito dolorosa"

Então, espontaneamente, José continuou dizendo ao rei o melhor que deveria ser feito para salvar a terra.

"proveja-se agora Faraó de um homem entendido e sábio, e o ponha sobre a terra do Egito... nomeie administradores sobre a terra, que tomem a quinta parte dos produtos da terra do Egito nos sete anos de fartura, e ajuntem eles todo o mantimento destes bons anos que vêm, e amontoem trigo debaixo da mão de Faraó, para mantimento nas cidades e o guardem; assim será o mantimento para provimento da terra, para os sete anos de fome, que haverá na terra do Egito; para que a terra não pereça de fome"

As palavras do jovem estrangeiro mostraram grande previsão, em que o rei deve ter se maravilhado. Certamente tal sabedoria não era comum.

"Poderíamos achar um homem como este?" ele disse aos seus servos ao redor dele. Então, voltando-se para José, ele disse:

"Tu estarás sobre a minha casa, e por tua voz se governará todo o meu povo; somente no trono eu serei maior que tu.. ... Vê, eu te hei posto sobre toda a terra do Egito"

E assim, enquanto seu pai lamentava por ele como morto na terra de Canaã, José era governador de toda a terra do Egito - perdendo apenas para o rei. Em vez do pequeno casaco de muitas cores, ele agora usava a túnica branca do estado, o anel do rei estava em seu dedo, a corrente de ouro do rei estava em volta do pescoço. Ele andava na carruagem real e, diante dele, os egípcios corriam gritando, como fazem nas ruas do Cairo hoje, quando uma grande pessoa está dirigindo através das massas lotadas de homens e animais.

Fazia treze anos desde que ele havia deixado sua casa, um pastor em Canaã. Agora ele viajava por todo o país, vendo que o grão estava armazenado em todas as grandes cidades do Egito. E assim os sete anos de abundância passaram e os celeiros do Egito estavam cheios até transbordando.

A história da inundação do Nilo, pela qual anos de abundância e fome foram decididos, é uma história mundialmente famosa, que data desde os primórdios da história até os dias atuais.

Que seja contada mais uma vez.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem