"Então passou por ... mercadores" Gênesis 37:28

Era uma caravana muito maior que saía do Egito, quando finalmente chegou a hora de Abraão voltar a Canaã; havia mais rebanhos e manadas, ovelhas e gado, camelos e jumentos. Eles retornaram da mesma forma que vieram, até chegarem a um de seus antigos locais de acampamento perto de Betel.

Mas Abraão e Ló não eram mais exploradores errantes, em busca de pasto para seus rebanhos. Eles eram homens ricos agora, com numerosos servos, e o pasto que era o suficiente para alimentar todos, nos velhos tempos, não era mais suficiente para ambos. E houve algumas brigas entre os pastores do gado de Abraão e os pastores do gado de Ló.

Uma Antiga Rota Comercial

Juntos, os dois homens estavam em um pedaço de solo em ascensão, de onde podiam observar o país vizinho.

"Porventura não está toda a terra diante de ti?" disse Abraão, que já se decidira quanto ao futuro. "Rogo-te que te apartes de mim. Se tu escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, irei eu para a esquerda".

E Ló, conhecendo o valor do rio Jordão que corria pelo meio da terra, escolheu a sua planície fértil, que era bem regada em toda parte, como a terra do Egito, da qual ele acabara de vir. Então ele levou seus servos, seu gado e suas ovelhas, e lá ele fez seu novo lar.

Abraão viveu em Canaã, imediatamente de Ló; mas ele não se esqueceu da pequena colônia que havia se estabelecido nas planícies do Jordão - como um ramo da velha raiz - e quando Ló estava em dificuldades com seus inimigos, Abraão foi o primeiro a ir em sua ajuda.

Era o mesmo naqueles velhos tempos como é agora; a pátria mãe ajuda suas colônias quando estão com problemas.

Depois de algum tempo, os descendentes de Abraão possuíram toda a terra de Canaã, que alcançou desde sua antiga casa além do rio Eufrates até o rio Nilo, no Egito. Mas o amor ao velho país ainda era forte dentro dele; e quando chegou a hora de escolher uma esposa para seu filho Isaque, foi para a terra além do Eufrates que ele se virou.

Daí veio Rebeca, que se tornou a avó de José, a história de cuja vida no Egito é ao mesmo tempo tão comovente e interessante.

Conforme o tempo passava, havia mais e mais tráfego entre os dois assentamentos na Ásia e na África, através da terra de Canaã. Mais de uma rota foi descoberta pela qual as longas filas de camelos e caravanas podiam passar com segurança de um país para o outro. E por que eles deveriam querer ir de uma terra para outra? Para fins comerciais.

Se um assentamento podia fazer e produzir o que outro assentamento não poderia, era natural que ocorresse uma troca. E assim aconteceu que longas filas de camelos estavam constantemente viajando através de Canaã trazendo especiarias, bálsamo e mirra para o Egito, e levando consigo seda e marfim daquele país. Foi a um desses grupos de mercadores que José foi vendido - mercadores, a caminho do Egito.

A história de José é familiar para todas as crianças. Elas sabem como ele foi amado por seu pai Jacó, e como ele viveu com seus pais na terra de Canaã, herdada de seu avô Abraão. Como seus irmãos mais velhos tinham ido para o sul pastorear seus rebanhos, como os árabes dos dias atuais, onde quer que o país selvagem fosse sem dono. Como Jacó se aborreceu com seus filhos mais velhos, enviando José, um menino de dezessete anos, com seu casaco de muitas cores, para ver como estavam se saindo. Como os irmãos mais velhos odiavam José porque ele era o favorito de seu pai, e como, quando o viram chegando, eles sussurravam entre si: "Venha agora, portanto, e vamos matá-lo".

Finalmente, eles o venderam para o grupo de mercadores que passavam com seus camelos, carregados de especiarias, para o Egito. Assim, o menino José, agora roubado de seu casaco de muitas cores, foi levado para o Egito e vendido a um Potifar, um cortesão do grande faraó do país.
E enquanto José servia no Egito, seu velho pai chorava por ele em Canaã.

"Todos os seus filhos e todas as suas filhas se levantaram para confortá-lo; mas ele se recusou a ser consolado".

Mal sabia Jacó, enquanto ele lamentava por José que achava que estava morto, que um dia ele também deveria viajar para o Egito, onde deveria encontrar seu filho novamente, como "governador de toda a terra".

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem