A História de Asclépio

Asclépio, o deus da arte da cura, era o filho de Apolo e a ninfa Corônis. Ele foi educado pelo nobre Centauro Quíron, que o instruiu em todo o conhecimento, mas mais especialmente no que diz respeito às propriedades das ervas.

Asclépio procurou os poderes ocultos das plantas e descobriu curas para as várias doenças que afligem o corpo humano. Ele trouxe sua arte para tal perfeição, que ele não só conseguia afastar a morte, mas também restaurar os mortos a vida. Acreditava-se popularmente que ele foi materialmente auxiliado em suas maravilhosas curas pelo sangue da Medusa, dado a ele por Palas Atena.

A História Mítica de Asclépio (Esculápio)

É bom observar que os santuários desta divindade, que geralmente eram construídos em lugares saudáveis, em colinas fora da cidade, ou perto de poços que se acreditava ter poderes de cura, ofereciam ao mesmo tempo meios de cura para os doentes e sofredores, combinando assim influências religiosas com sanitárias.

Era costume o doente dormir no templo, quando, se ele tivesse sido sincero em suas devoções, Asclépio aparecia para ele em um sonho, e revelava os meios a serem empregados para a cura de sua doença. Nas paredes desses templos, pendiam tábuas, inscritas pelos diferentes peregrinos com as particularidades de suas enfermidades, os remédios praticados e as curas realizadas pelo deus: - um costume, sem dúvida, produtivo dos resultados mais benéficos.

Bosques, templos e altares foram dedicados a Asclépio em muitas partes da Grécia, mas Epidauro, a sede principal de sua adoração - onde, de fato, se diz ter originado, continha seu templo principal, que servia ao mesmo tempo como um hospital.

A estátua de Asclépio ou Esculápio no templo de Epidauro era formada de marfim e ouro, e representava-o como um homem velho de barba cheia, apoiado em um cajado ao redor do qual uma serpente está subindo. A serpente era o símbolo distintivo dessa divindade, em parte porque esses répteis eram muito usados ​​pelos antigos na cura de doenças, e em parte também porque toda a prudência e sabedoria da serpente eram consideradas indispensáveis ​​para o médico judicioso.

Seus atributos habituais são um bastão, uma tigela, um punhado de ervas, um abacaxi, um cachorro e uma serpente.

Seus filhos herdaram, em sua maior parte, os talentos distintos de seu pai. Dois de seus filhos, Machaon e Podalírio, acompanharam Agamenon à guerra de Troia, na qual se tornaram renomados, não apenas como heróis militares, mas também como médicos hábeis.

Suas irmãs, Hígia (saúde) e Panaceia (cura total), tinham templos dedicados a elas e recebiam honras divinas. A função de Hígia era manter a saúde da comunidade, cuja grande bênção deveria ser trazida por ela como um presente direto e benéfico dos deuses.

A adoração a Esculápio foi introduzida em Roma a partir de Epidauro, de onde a estátua do deus da cura foi trazida na época de uma grande pestilência. Gratos por sua libertação desta praga, os romanos ergueram um templo em sua honra, em uma ilha perto da foz do rio Tibre.

O Mito de Asclépio - o Mundo Mágico do Mito e da Lenda

A mítica história de Asclépio é uma das histórias sobre a história de antigos deuses e deusas que aparecem na mitologia e lendas antigas. Tais histórias servem como uma entrada para entrar no mundo dos antigos gregos e romanos.

Os nomes de tantos heróis e personagens são conhecidos hoje por meio de filmes e jogos, mas a história real sobre esses personagens é desconhecida. Ler uma história mítica sobre Asclépio é a maneira mais fácil de aprender sobre a história e as histórias dos clássicos.

A História de Asclépio da Mitologia Antiga

A curta história mítica de Asclépio é uma das famosas lendas que aparecem na mitologia das civilizações antigas. Descubra a história dos antigos deuses e deusas romanos e gregos. Informações interessantes sobre os deuses e deusas apresentando Asclépio em um formato de conto. Esta pequena história de Asclépio é fácil de ler para crianças que estão aprendendo sobre a história, mitos e lendas dos antigos deuses romanos e gregos.

Postar comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem