O Menino e o Violino - Mitos e Lendas

O Menino e o Violino

Era uma vez um homem que tinha um filho único. Quando o homem morreu, o filho ficou sozinho no mundo. Não havia muita propriedade - apenas um gato e um cachorro, um pequeno pedaço de terra e algumas laranjeiras. O menino deu o cachorro para um vizinho e vendeu a terra e as laranjeiras. Todo dinheiro que obteve da venda investiu em um violino. Ele ansiara por um violino por toda a vida e agora queria mais um do que nunca. Enquanto seu pai vivia, ele podia contar seus pensamentos a seu pai, mas agora não havia ninguém para lhes dizer, exceto o violino. O que seu violino disse de volta para ele fez a música mais doce do mundo.

O menino foi procurar trabalho como pastor para cuidar das ovelhas do rei, mas lhe foi dito que o rei já tinha muitos pastores e não precisava de outro. O garoto pegou o violino que trouxera e se escondeu na floresta profunda. Lá ele fez música doce com o violino. Os pastores que estavam por perto guardando as ovelhas do rei ouviram as doces tensões, mas não conseguiram descobrir quem estava tocando. As ovelhas também ouviram a música. Várias delas deixaram o rebanho e seguiram o som da música na floresta. Eles seguiram até chegarem ao menino e ao gato e ao violino.

O Menino e o Violino

Os pastores ficaram muito perturbados quando descobriram como suas ovelhas se desviavam para a floresta. Eles foram atrás delas para trazê-las de volta, mas não conseguiram encontrar nenhum vestígio delas. Às vezes parece que eles estavam muito perto do lugar de onde a música vinha, mas quando corriam naquela direção eles ouviam as tensões da música vindo de um ponto distante na direção oposta. Eles estavam com medo de se perderem, então desistiram em desespero.

Quando o menino viu como as ovelhas vieram para ouvir sua música, ele ficou muito feliz. Sua música não era mais o triste som doce que tinha quando ele estava sozinho. Tornou-se alegre e mais alegre. Depois de algum tempo, tornou-se tão alegre que o gato começou a dançar. Quando as ovelhas viram a dança do gato, começaram a dançar também.

Logo uma companhia de macacos passou por ali e ouviu o som da música. Eles começaram a dançar imediatamente. Fizeram tal tagarelice que quase afogaram a música. O menino ameaçou parar de tocar se não pudessem ser alegres sem ser tão barulhentos. Depois disso os macacos tagarelaram menos.

Depois de um tempo, uma anta ouviu o som alegre. Imediatamente suas patas traseiras de três dedos e pés dianteiros começaram a dançar. Ele simplesmente não conseguia impedi-los de dançar; então ele também se juntou à procissão do menino, do gato, da ovelha e dos macacos.

Em seguida, o tatu ouviu a música. Apesar de sua armadura pesada, ele teve que dançar também. Então uma manada de pequenos cervos se juntou à companhia. Então o tamanduá dançou junto com eles. O gato selvagem e o tigre também vieram. As ovelhas e os cervos estavam terrivelmente assustados, mas continuaram dançando da mesma forma. O tigre e o gato selvagem estavam tão felizes dançando que nunca os notaram. As grandes cobras enrolavam seus enormes corpos sobre os troncos das árvores e desejavam que eles também tivessem pés com os quais dançar. Os pássaros tentaram dançar, mas não puderam usar bem os pés e tiveram que desistir e continuar voando. Cada animal das florestas e selvas que tinham pés com os quais dançar veio e se juntou à procissão alegre.

A alegre companhia continuou vagando até que finalmente chegaram ao alto muro que cerca a terra dos gigantes. O enorme gigante que estava no muro como guarda riu tanto que quase caiu do muro. Ele levou-os ao rei imediatamente. O rei riu tanto que quase caiu do trono. Sua risada sacudiu a terra. A terra nunca antes tinha sido abalada pelas gargalhadas do rei dos gigantes, embora muitas vezes tivesse ouvido sua voz furiosa no trovão. As pessoas não sabiam o que fazer com isso.

Aconteceu que o rei da terra dos gigantes tinha uma bela filha giganta que nunca riu. Ela permanecia triste o tempo todo. O rei havia oferecido metade do seu reino àquele que poderia fazê-la rir, e todos os gigantes haviam feito seus truques mais engraçados para ela. Nenhuma única vez eles trouxeram até mesmo um pequeno sorriso para seu rosto adorável. "Se a minha filha puder evitar rir quando ela ver essa visão engraçada eu vou desistir em desespero e comer o meu chapéu", disse o rei da terra de gigantes, ao ver a pequena figura alegre tocando o violino e o grupo de gato, ovelhas, macacos e tudo mais dançando para a música alegre. Se o rei gigante soubesse dançar, dançaria também, mas foi uma sorte para os povos da terra que ele não sabia como dançar. Se ele tivesse, não há como saber o que poderia ter acontecido com a terra.

Logo o rei levou o pequeno grupo para o palácio de sua filha, onde ela se sentou rodeada por seus servos. Seu rosto adorável era tão triste quanto triste poderia ser. Quando ela viu a visão engraçada, sua expressão mudou. O sorriso feliz que o rei da terra sempre quis ver brincava com seus belos lábios. Uma risada alegre foi ouvida pela primeira vez em toda a sua vida. O rei da terra dos gigantes estava tão feliz que ele cresceu uma légua de altura e ninguém sabe o quanto ele ganhou peso. "Você terá metade do meu reino", disse ele ao menino, "assim como prometi se alguém fizesse minha filha rir".

A partir daquele momento o menino reinou sobre metade do reino dos gigantes como príncipe da terra. Ele nunca teve a menor dificuldade em preservar sua autoridade, pois os maiores gigantes imediatamente obedeceriam a seu menor pedido se tocassem seu violino para eles. As feras permaneceram na terra dos gigantes por tanto tempo que se transformaram em feras gigantes, mas o menino e seu violino sempre permaneceram como estavam quando entraram na terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!