Muitas centenas de anos atrás, senhores da guerra e guerreiros da agricultura da Escandinávia pagã partiram de sua terra natal como assaltantes, conquistadores, exploradores, colonos e comerciantes. Seus esforços fizeram uma marca tão decisiva nas terras e sociedades circundantes que esse período na história recebeu o nome deles: A Era Viking.

Os historiadores tradicionalmente consideravam a Era Viking iniciada em 793, o ano do primeiro grande ataque Viking registrado, que visava um mosteiro em Lindisfarne, Inglaterra. Essa é uma data tão conveniente para usar quanto qualquer outra, embora os ataques vikings certamente tenham ocorrido no início do século VIII também; Os reis ingleses que governavam as áreas costeiras já haviam começado a organizar defesas contra ataques de "pagãos que navegavam no mar", como coloca um documento medieval inglês antes de 793.

Quem Foram os Vikings Históricos?

A data convencional para o fim da Era Viking é 1066, o ano da última grande batalha Viking (a Batalha de Stamford Bridge, também na Inglaterra). Naquela época, os vizinhos dos vikings haviam descoberto como evitar seus ataques, e as sociedades escandinavas haviam sido amplamente introduzidas na tendência cultural, política e religiosa europeu.

Entre essas duas datas, os vikings incutiram pavor e admiração nas mentes e corações de todas as pessoas com quem entraram em contato, que se referiram a eles com epítetos como "lobos temerosos" e "vespas ardentes".

Os vikings invadiram e saquearam incontáveis ​​assentamentos ao longo das costas e rios das Ilhas Britânicas, Europa continental e norte da África. Eles conquistaram e governaram grande parte da Inglaterra, Escócia e Europa Oriental, fundando a dinastia Rus, da qual a Rússia recebe esse nome.

Eles viajaram para o oeste através do Atlântico Norte até a costa leste do Canadá, descobrindo a América do Norte quinhentos anos antes de Cristóvão Colombo. Ao longo do caminho, eles fundaram as sociedades da Islândia e das Ilhas Faroé e estabeleceram assentamentos na Groenlândia que sobreviveram por séculos depois.

Eles serviram como guarda de elite do imperador bizantino em Constantinopla (atual Istambul, Turquia) e mantiveram parcerias comerciais lucrativas com o mundo árabe, que às vezes os levavam para o leste e o sul de Bagdá.

Apesar dessas tremendas realizações, a vida dos vikings não era toda glória e riqueza. A maioria dos escandinavos da era viking passava a maior parte do tempo em suas fazendas, onde tinham que realizar trabalho manual duro aparentemente interminável apenas para sobreviver em sua sociedade pré-industrial em um clima frio. A fome, as doenças e os ataques às aldeias e vilas eram perigos sempre presentes.

A estrutura social viking consistia em três classes principais, com nobres (condes) no topo, homens livres comuns no meio e escravos no fundo. Os governantes eram chefes, senhores da guerra que acumularam seu poder através de uma combinação de vitórias e riquezas militares.

Homens e mulheres tinham papéis específicos de gênero que deveriam cumprir. Eles falavam a língua nórdica antiga, que, como o inglês moderno, fazia parte da família de línguas germânicas. Antes de se converterem ao cristianismo no final da Era Viking, eles praticaram sua própria religião politeísta tradicional, uma parte da qual era hoje o que chamamos de "mitologia nórdica".

A palavra "viking" é atestada pela primeira vez em inglês no século IX. Parece ter vindo da palavra nórdica antiga víkingr, que se referia a um homem que partiu para uma expedição militar no exterior como membro de um grupo sob a liderança de um chefe ou rei.

A palavra “Viking” pode ser usada em dois sentidos diferentes: no sentido mais estrito, refere-se apenas aos invasores nórdicos da Era Viking, e no sentido mais amplo, refere-se a todos os escandinavos da época. Neste site, a palavra é usada principalmente nesse segundo sentido, mais flexível.

Os vikings foram chamados por muitos outros nomes em toda a Eurásia. Os europeus ocidentais costumavam se referir a eles como "homens do norte", "dinamarqueses" (mesmo quando não eram especificamente da Dinamarca) ou simplesmente "pagãos".

Aqueles que se estabeleceram na Europa Oriental foram chamados de "Varjags" ou "Rus". "Rus" parece derivar de Roslagen, o nome de uma região no leste da Suécia a partir da qual muitos deles podem ter se estabelecido.

"Varjag" vem do antigo nórdico Væringr (Varegues), que provavelmente era uma forma do título dado aos mercenários viking que protegiam o imperador bizantino em Constantinopla. Væringr, por sua vez, provavelmente vem da palavra nórdica antiga vár, "juramento", uma referência ao juramento que esses mercenários jurariam defender o imperador.

Assim como a palavra "viking", seu uso teria se expandido a partir desse significado original relativamente estreito para se referir a todo e qualquer escandinavo do período.
Postagem Anterior Próxima Postagem