Como ele cruzou os Alpes

Um dia, mais de duzentos anos antes do nascimento de nosso Senhor Jesus Cristo, uma multidão de cidadãos encheu as ruas da antiga cidade de Cartago. Eles estavam esperando para ver os embaixadores romanos passarem a caminho do Senado.

"Será paz ou guerra, o que você acha?" perguntou um negro cartaginense.

"Guerra", respondeu o vizinho. "Não há espaço no mundo para duas grandes repúblicas. Ou Roma deve cair, ou Cartago, e se Aníbal tem algo a ver com isso, não precisamos temer por Cartago. Já é dito que os romanos tremem ao som de seu nome e eles têm uma causa. Um dia ele conquistará a própria Roma, e então nós, cartagineses, seremos mestres da Itália, e Roma pagará tributo a Cartago, a maior cidade do mundo”.


Então, orgulhosamente falou o homem. Ele não sabia que em menos de cem anos Cartago estaria em ruínas - queimadas até o chão pelas tropas romanas e todas as suas grandes posses entregues ao domínio romano. Mas naquela época havia uma boa causa para se gabar, pois Cartago, com todos os seus esplêndidos templos e belos edifícios, com vista para o azul do Mar Mediterrâneo, rivalizava até mesmo com grandeza e poder em Roma, e ninguém podia dizer qual das duas repúblicas - romana ou Cartaginense - provaria o mais forte no final.

"Aníbal já odiava os romanos!" Desta vez foi uma mulher que falou. "Seu pai lhe ensinou bem essa lição. Dizem que, quando o menino tinha apenas nove anos, Amílcar o fez jurar diante do altar dos deuses um amargo juramento de ódio contra Roma".

"Amílcar conquistou Hispania (Espanha) para nós, e ele era um grande general", disse o primeiro homem, "mas seu filho ainda será maior, guarde minhas palavras. Ele já forçou muitas daquelas selvagens tribos espanholas a pagá-lo fidelidade, e olhe para você, ele mantém seu juramento Por que ele sitiou Sagunto e a tomou? Por nenhuma outra causa além de escolher uma briga com os romanos. A cidade estava sob a proteção deles, agora pertence a Cartago, graças a Aníbal e se eles não tomarem cuidado, ele tomará mais deles ainda".

Silêncio! Lá vem eles! ", Disse a mulher.

Rapidamente os embaixadores romanos passaram, tão ansiosos quanto os cartagineses para saber se era para ser guerra ou paz.

"Sabe o que Hannibal fez?" - gritou Fabio, o principal embaixador, diante dos senadores cartagineses.

"A república enviou-lhe a notícia de que, se ele assumisse Sagunto, significaria guerra contra Roma. Apesar dessa advertência, ele sitiou e tomou a cidade. Agora saberíamos o que o governo cartaginense tem a dizer?"

"Aníbal agia como ele pensava melhor pelo bem de seu país", responderam os senadores, e começaram a dar desculpas ao general. Fabio perdeu a paciência.

"Eu trago aqui guerra ou paz: pegue o que você quiser", disse ele, e juntou sua toga em uma dobra pesada.

"Dê-nos o que você gosta", foi a resposta. Fabio sacudiu a dobra.

"Eu te dou guerra", ele disse.

"Nós aceitamos o presente, e bem-vindos", gritaram os senadores.

Apressadamente, Fabio partiu para a Espanha, onde esperava convencer as tribos espanholas a se voltarem contra os cartagineses ou os africanos, como foram chamados mais tarde; mas ele falhou. Rapidamente ele viajou para a Gália: nada poderia ser feito por sua causa. As tribos gaulesas, embora tivessem sido conquistadas pelos romanos, eram, no fundo, inimigos de Roma: não se podia obter ajuda deles.

Para Roma, então, Fabio retornou, para encontrar os cidadãos muito alarmados, ocupados preparando-se para a terrível guerra que eles sabiam que deveria vir.

Na Espanha, na cidade que Amílcar havia fundado e batizado de Nova Cartago, seu filho Aníbal estava treinando tropas espanholas e africanas para a grande invasão. Ele decidira fazer uma coisa maravilhosa; ele ia marchar sobre os Pireneus através da Gália e dos Alpes até a Gália Cisalpina, que agora é chamada de norte da Itália. No caminho, esperava que muitas das tribos gaulesas se juntassem a ele e, com a ajuda deles, esperava que esse homem ousado conquistasse não apenas a Gália, a Etrúria e as outras províncias, mas também Roma, a inconquistável cidade em si.

Aníbal: General e Estadista Cartaginês

A marcha desesperada começou. Aníbal, à frente de 90.000 a pé e 20.000 soldados a cavalo e trinta e sete elefantes (os cartagineses faziam grande uso de elefantes em batalha), estava a caminho de conquistar a Itália.

Mas o rio Iberus, uma vez atravessado, seus problemas começaram. As tribos lutaram com ele por cada centímetro do caminho, e quando ele chegou ao pé dos Pirineus, a quarta parte de seu exército foi morta. Pior estava por vir. Ao ver as terríveis montanhas cobertas de neve, 11.000 soldados se recusaram a ir mais longe. Aníbal, que era tão corajoso quanto um leão, que nunca se queixou por mais cansado, frio ou com fome que estivesse, não disse uma palavra de reprovação para eles.

"Vão se vocês quiserem!" ele disse, sabendo que soldados indispostos se tornam maus guerreiros; e eles foram.

Em marcha Aníbal com o resto do seu exército sobre os Pirineus, através da Gália ao pé dos Alpes, e até agora os romanos não fizeram nenhum sinal. Acho que nenhum deles acreditava que Aníbal ousaria liderar seu exército por aquelas montanhas terríveis.

"Impossível", gritavam eles, "para qualquer soldado que não seja montanhista, levemente armado e sem bagagem e cavalos para atrapalhar."

"Nada é impossível para Aníbal!" seus soldados teriam respondido se estivessem lá; para Aníbal durante toda a sua vida foi adorado pelos seus homens.

O inverno estava próximo. Já a neve caíra, mas apesar do frio, Aníbal não iria esperar. Ele persuadiu alguns dos gauleses a mostrar-lhes o caminho da passagem, mas na marcha do terceiro dia os guias se tornaram traidores, e toda a tribo atacou ferozmente os cartagineses, subindo até o alto precipício acima da estrada para rolar grandes pedras sobre o soldados. Isso continuou até que, ao virar o passo, Aníbal, com alguns homens, os manteve à distância, enquanto o resto do exército passava em segurança.

Mas os bravos soldados tiveram que lutar com inimigos ainda mais fortes que os homens. A neve cruel e o granizo caíram sobre eles: ventos amargos congelaram até os ossos: a estrada íngreme, escorregadia e perigosa impedia sua marcha: a fome e o cansaço iam com eles dia após dia. Os homens morreram às centenas, ou melhor, aos milhares; os elefantes e cavalos caíram exaustos pelo caminho, e ainda assim Aníbal não cedeu, ainda lutaram pelo passo; mais alto, mais alto e mais alto, até que no nono dia chegaram ao topo: a Itália estava à vista.

Aníbal: General e Estadista Cartaginês

"Bem, meus heróis!" gritou Aníbal, quando as tropas descansaram por algum tempo; e a marcha descendente começou. A estrada era tão ruim que três dias precisaram ser gastos para repara-la, e três dias significaram a perda de muitas vidas de mais soldados. Mais três dias de dificuldades ainda maiores, e Aníbal, com tudo o que restava de seu exército, entrou na Gália Cisalpina. Ele chegou à Itália finalmente.

Quantas vidas você acha que a terrível marcha de dezesseis dias custou a ele? Trinta e quatro mil homens sozinhos, sem contar os cavalos que foram mortos pela fome e pelo frio e cansaço, pois houve pouca luta.

Felizmente, as tribos daquela parte do país eram amistosas e, por um tempo, ele ficou ali para descansar suas tropas e encontrar cavalos novos.

Havia necessidade. Roma enviou um exército de 40.000 homens liderados por dois cônsules e uma grande batalha foi travada. Aníbal, apesar de seu exército menor, ganhou habilmente a batalha. Os romanos fugiram, e toda a Gália Cisalpina estava à mercê de Aníbal. Ele, no entanto, tendo perdido muitos homens, retirou-se para os bairros de inverno, onde esperar até que a primavera deveria tornasse a guerra possível novamente.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem