Pégaso, o Cavalo Alado na Mitologia Grega - Mitos e Lendas

Pégaso, o Cavalo Alado na Mitologia Grega

Pégaso, o cavalo alado da mitologia grega, esteve envolvido em alguns dos contos mais intrigantes da época.

Desde o nascimento até a morte, Pégaso continuou sendo uma criatura misteriosa, capaz de tudo, simbolizando a inspiração divina ou a viagem ao céu, já que cavalgá-lo era sinônimo de “voar” para os céus.

Pégaso era representado como uma criatura gentil e bondosa, um tanto ingênua, mas sempre disposta a ajudar.

Por seu serviço e lealdade, Zeus honrou-o com uma imortalidade especial, transformando Pégaso em uma constelação no último dia de sua vida.

Pégaso, o Cavalo Alado na Mitologia Grega

Pégaso, Filho de Medusa e Poseidon

O mito dizia que Pégaso era filho da mortal Medusa e Poseidon, deus do mar. Pégaso e seu irmão Crisaor nasceram do sangue de sua mãe decapitada, Medusa, a górgona enganada e morta por Perseu.

Uma versão mais detalhada do mito dizia que dois deles nasceram quando o sangue de Medusa se misturou com a espuma do mar. O mito diz que Pégaso nasceu como um cavalo alado porque seu pai Poseidon tinha a forma de cavalo ao seduzir a Medusa. Quando Pégaso nasceu, um enorme trovão com relâmpagos perfurou o céu, e foi assim que suas conexões com as forças dos céus foram estabelecidas.

Mas a versão mais comum do mito sobre Pégaso diz que a deusa Atena domou o cavalo alado e o entregou a Perseu, que mais tarde precisou voar para longe para ajudar sua amante Andromeda.

Pégaso e as Musas

De volta ao rescaldo do nascimento de Pégaso. Sem pais, ele foi criado pelas Musas no Monte Hélicon, onde foi levado pela deusa Atena. Em toda a sua excitação por ter sido dado a essas mulheres, Pégaso estava batendo na lateral da montanha com seus cascos e suas marcas fizeram com que os buracos se transformassem em fontes fluidas de inspiração.

Essas fontes se tornaram sagradas para as Musas que amavam e respeitavam o "cavalo voador". Mas para uma delas - Urania, a musa da astronomia e do amor universal, Pégaso era particularmente importante. Ela viu um futuro heroico para Pegasus, assim como alguma possível honra celestial esperando por ele. A urânia sofreu muito quando Belerofonte, um herói mítico, que levou Pégaso embora.

A história de Hesíodo sobre o “sequestro” de Pégaso, por Belerofonte, confirmou que sempre que Pégaso batia seu casco, uma fonte de inspiração explodia imediatamente. Uma dessas fontes sagradas foi o Hipocrene (que significa “fonte de cavalos”) no Monte Hélicon.

Pégaso, o Cavalo Alado na Mitologia Grega

No Monte Olimpo

Em todo caso, Pégaso acabou no Monte Olimpo e serviu Zeus com seus poderes mágicos de relâmpago e trovão, sempre que o Deus Supremo desejava. E seu principal zelador da juventude, a Musa Urania, junto com outras Musas, acolheu o retorno de Pégaso em plena alegria e felicidade.

Pégaso viveu no Monte Olimpo até o último dia. Desde então, ele se tornou uma inspiração para artistas de todos os tipos, uma fantasia para crianças que sonham com seu próprio Pégaso para alcançar as misteriosas cavernas e labirintos de sua imaginação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!