Pluto - Deus Grego da Riqueza

Cada cultura na história tem seus deuses e deusas da riqueza e da prosperidade. O panteão na religião e mitologia gregas antigas não é exceção.

Pluto era o deus da riqueza e da generosidade agrícola. Inicialmente, ele estava associado apenas à generosidade agrícola, mas mais tarde passou a representar a prosperidade e a riqueza em geral.

Embora fosse uma divindade secundária, não desempenhou um papel significativo na mitologia grega, mas foi importante nos domínios que governava.

Pluto - Deus Grego da Riqueza

Origens e Linhagem de Pluto

Há uma disputa entre diferentes relatos da mitologia grega sobre a linhagem de Pluto. Ele é conhecido por ser filho de Deméter, uma deusa do Olimpo, e Iasião, um semideus. Em outros relatos, ele é filho de Hades, rei do submundo, e de Perséfone.

Outros ainda dizem que ele é filho da deusa da fortuna Tique, que também é vista segurando um jovem Pluto em muitas representações. Diz-se que Pluto também tem um irmão gêmeo, Philomelus ou Philomenus, o deus da agricultura e da lavoura.

Na versão mais conhecida, Pluto nasceu na ilha de Creta, concebido durante um casamento quando Deméter atraiu Iasião para um campo onde se deitaram juntos em um sulco recém-arado durante o casamento. A mitologia grega menciona que o campo foi arado três vezes e que Deméter se deitou de costas ao concebê-lo. Estes são dados como razões para a conexão de Pluto com a abundância e a riqueza. Assim como um campo está preparado para ser semeado e colhido para os frutos do trabalho, o ventre de Deméter foi preparado para conceber o deus das riquezas.

Depois que o ato de fazer amor acabou, Demeter e Iasião voltaram às celebrações do casamento, onde chamaram a atenção de Zeus. Zeus ficou furioso quando descobriu sobre sua ligação, que atingiu Iasião com um poderoso raio, reduzindo-o a nada.

Em outras versões, está implícito que Zeus matou Iasião porque ele não era digno de uma deusa do calibre de Deméter. Quaisquer que sejam as razões exatas da raiva de Zeus, o resultado foi que Pluto cresceu sem pai.

O Deus da Riqueza no Trabalho

De acordo com o folclore grego, os mortais procuravam Pluto, invocando suas bênçãos. Pluto possuía o poder de abençoar qualquer pessoa com riqueza material.

Por esta razão, Zeus o cegou quando ele era apenas uma criança para que ele não pudesse distinguir as pessoas boas das más. Essa decisão permitiu que todos os que fossem a Pluto fossem abençoados, independentemente de suas ações e feitos anteriores. Isso simboliza o fato de que a riqueza não é prerrogativa dos bons e dos justos.

É uma descrição de como a fortuna costuma funcionar no mundo real.

A riqueza nunca é distribuída igualmente, nem questiona o observador. Uma peça escrita pelo antigo dramaturgo de comédia grego Aristófanes, com humor, visualiza um Pluto com sua visão recuperada apenas distribuindo riqueza para aqueles que a merecem.

Pluto também é descrito como deficiente. Em outras representações, ele é retratado com asas.

Símbolos e Influência de Pluto

Pluto é tipicamente retratado na companhia de sua mãe Deméter ou sozinho, segurando ouro ou trigo, simbolizando riqueza e abundância.

No entanto, na maioria das esculturas, ele é mostrado como uma criança embalada nos braços de outras deusas conhecidas pela paz, sorte e sucesso.

Um de seus símbolos é a cornucópia, também conhecida como o chifre da abundância, cheia de riquezas agrícolas como flores, frutas e nozes.

O nome de Pluto serviu de inspiração para várias palavras da língua portuguesa, incluindo plutocracia (governo dos ricos), plutomania (um forte desejo por riqueza) e plutonomia (o estudo da gestão de fortunas).

Representações de Pluto na Arte e na Literatura

Um dos grandes artistas ingleses, George Frederic Watts, foi muito influenciado pela mitologia grega e romana. Ele era famoso por suas pinturas alegóricas sobre a riqueza. Ele acreditava que a busca pela riqueza estava substituindo a busca pela religião na sociedade moderna.

Para ilustrar essa visão, ele pintou A esposa de Pluto na década de 1880. A pintura retrata uma mulher segurando joias e se contorcendo em agonia, mostrando a influência corruptora da riqueza.

Pluto também foi mencionado no Inferno de Dante como um demônio do quarto círculo do inferno, reservado para os pecadores da ganância e da avareza. Dante combina as personas de Pluto com Hades para formar um grande inimigo que impede Dante de passar, a menos que ele resolva um quebra-cabeça.

O poeta acreditava que correr atrás de riquezas materiais leva às mais pecaminosas corrupções da vida humana e, portanto, deu a devida importância.

Essas representações posteriores pintaram Pluto como uma força corruptora, relacionada aos males da riqueza e ao acúmulo de riquezas.

Concluindo

Pluto é uma das muitas divindades menores no panteão da mitologia grega, mas ele é, sem dúvida, amplamente celebrado na arte e na literatura. Ele simboliza riqueza e prosperidade, que ainda hoje são amplamente discutidas na filosofia e economia modernas.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem