Quem Realmente Matou a Hidra de Lerna?

Matar a Hidra de Lerna foi o segundo trabalho do herói Hércules, mas ele precisou de ajuda para vencer o lendário monstro. Leia mais para saber mais sobre Iolau, o jovem herói que acompanhava Hércules em suas aventuras!

Os doze trabalhos de Hércules são uma das missões mais famosas de toda a mitologia. Para expiar o crime de matar seus filhos sob a influência da loucura, o herói teve que se comprometer com dez anos de servidão.

Naquela época, ele recebeu dez tarefas quase impossíveis e altamente perigosas. Ele completou todas elas, mas para sua consternação foi dito que dois não seriam contados.

Um deles foi matar a Hidra de Lerna, um monstro com veneno mortal e a capacidade de se regenerar sempre que era ferido. O segundo trabalho não seria contado porque Hércules havia recebido ajuda para completá-lo.

Essa ajuda não veio na forma de outro grande herói, um rei ou um deus. Em vez disso, seu motorista de carruagem adolescente descobriu como derrotar a Hidra de Lerna.

Iolau era o sobrinho do herói que o acompanhou em muitas mais aventuras do que apenas a luta contra a Hidra de Lerna. De acordo com alguns escritores, ele foi um companheiro ao longo da vida que continuou a ajudar sua família mesmo após a morte de Hércules.

Iolau é conhecido por sua ajuda em matar a Hidra de Lerna, mas há muito mais em sua história do que a luta contra um único monstro!

Quem Realmente Matou a Hidra de Lerna?

Hércules, Iolau e a Hidra de Lerna

Quando Hércules partiu em seus doze trabalhos, ele não viajou sozinho.

Seu sobrinho Iolau era seu cocheiro, companheiro e, segundo algumas fontes, seu amante. Iolau era filho do irmão gêmeo de Hércules, Íficles.

Iolau é mais conhecido por seu papel na luta contra a Hidra de Lerna. Este foi o segundo dos trabalhos atribuídos a Hércules pelo rei Euristeu.

A Hidra de Lerna era um monstro que vivia nos pântanos do Lago Lerna, perto de Argos. Enquanto a maioria dos relatos afirmava que não poderia ser realmente morto, Hércules foi enviado para derrotá-lo.

A Hidra de Lerna era uma enorme serpente de várias cabeças. Seu veneno era tão potente que a fumaça poderia matar uma pessoa se ela andasse muito perto do covil do monstro.

Embora fontes antigas não concordassem exatamente com quantas cabeças a Hidra tinha, a maioria confirmou que elas se regeneravam se fossem destruídas. A extensão dessa regeneração cresceu ao longo do tempo até que a história padrão era que para cada cabeça cortada, mais duas voltavam a crescer do toco.

Hércules era um lutador habilidoso e destemido, mas a batalha contra a Hidra de Lerna quase provou estar além de suas capacidades. Embora ele lutasse bem, ele não conseguiu superar a capacidade da Hidra de Lerna de regenerar suas cabeças decepadas.

Iolau assistiu a luta de uma curta distância, segurando uma tocha que ele usou para guiar seu caminho através dos pântanos escuros. Enquanto observava seu tio lutar contra o monstro, ele teve uma ideia para derrotar a Hidra de Lerna.

Iolau, que provavelmente era um adolescente na época, corajosamente saltou para a batalha. Quando Hércules cortou uma das cabeças da Hidra, Iolau usou a tocha para cauterizar o coto.

Trabalhando rapidamente, Iolau foi capaz de queimar as feridas antes que a Hidra pudesse regenerar uma nova cabeça em seu lugar. Hércules e Iolau atacaram a Hidra de Lerna como uma equipe e lentamente começaram a ganhar terreno contra o monstro.

Eventualmente, apenas uma cabeça permaneceu. A cabeça principal da Hidra de Lerna era imortal, então Hércules a enterrou em um lugar onde ninguém jamais iria desenterrá-la. Antes de sair, Hércules mergulhou suas flechas no sangue do monstro para imbuí-los com seu veneno mortal.

Hércules continuou com seus trabalhos, passando mais oito anos a serviço do rei Euristeu. Depois de muitas aventuras perigosas e difíceis, ele acreditava que sua servidão terminaria.

Em vez disso, no entanto, ele foi informado de que duas de suas missões haviam sido concluídas da maneira errada. Por causa disso, ele teria que realizar mais dois trabalhos, num total de doze, antes de ganhar sua liberdade e absolvição por seus crimes.

Uma das tarefas que Hércules supostamente falhou foi matar a Hidra de Lerna. O monstro foi morto com a ajuda de Iolau, então Euristeu e Hera decretaram que Hércules não havia completado a tarefa para sua satisfação.

Embora a Hidra de Lerna tenha sido destruída, e embora Hércules tenha recebido ajuda em algumas de suas outras tarefas, muito do crédito pela luta poderia ser dado a Iolau para que ela contasse como uma vitória para Hércules.

Interpretação Moderna

A recusa em permitir que a vitória contra a Hidra de Lerna contasse como uma tarefa concluída foi, é claro, um estratagema de Hera e Euristeu para colocar Hércules ainda mais em perigo. Isso mostra, no entanto, que Iolau era muito mais do que apenas o motorista da carruagem do herói.

Iolau continuou a aparecer nas lendas de seu tio. Ele parecia ser mais um conselheiro confiável e amigo íntimo do que o papel mais servil que às vezes é visto desempenhando.

Em algumas versões da história de Hércules, por exemplo, sua esposa Megara sobreviveu ao episódio de loucura que o levou a matar o resto da família. Em vez de permanecer casado com a mulher cujos filhos ele havia matado, Hércules a deu a Iolau.

Megara e Iolau tiveram uma filha juntos, Lipéfile. Uma beleza renomada, ela se casou com o rei de Ephyra.

Um historiador afirmou que Hércules enviou Iolau para aconselhar nove de seus filhos no estabelecimento de uma nova colônia na Sardenha. Seus descendentes foram os Iolei e um escritor posterior disse que seus túmulos se tornaram os locais de oráculos bem-vistos.

Outro escritor afirmou que Iolau foi enterrado na Sardenha também. Em reconhecimento por seu papel na fundação de sua cultura, os Iolei construíram um santuário onde ele foi enterrado.

Outros disseram que Iolau retornou à Grécia e esteve envolvido nas aventuras posteriores de Hércules e seus filhos.

Alguns escritores afirmaram que Iolau estava presente quando Hércules morreu. Ele foi creditado em alguns relatos por acender a pira funerária do herói.

O dramaturgo Eurípedes fez de Iolau uma figura central na Heráclidas, uma peça sobre o destino dos filhos do herói após sua morte. Nela, Iolau é idoso e frágil, mas ainda empenhado em ajudar a família de seu tio.

Iolau acompanha e protege os filhos de Hércules e a mãe do herói, Alcmena, apesar de sua idade avançada. Quando as forças do rei Euristeu atacam a cidade de Atenas, que deu abrigo aos Heráclidas, Iolau insiste em se juntar à batalha.

Com a intervenção da esposa divina de Hércules, a jovem deusa Hebe, o vigor e a força de Iolau são restaurados ao que eram em sua juventude. Ele captura Euristeu e o traz para a cidade para que a justiça seja feita.

A mitologia de Iolau cresceu muito além de seu papel como um jovem cocheiro. Há alguma evidência de que o sobrinho do herói mais famoso da Grécia foi considerado uma lenda por direito próprio.

O povo de Tebas parece ter sido particularmente devotado a Iolau. Plutarco mencionou pelo menos um santuário dedicado a Iolau lá, mostrando que ele era considerado um herói e não apenas um companheiro.

O relato de Plutarco também deixa claro o que o povo de Tebas achava que era a verdadeira relação entre Iolau e Hércules. Seu santuário, disse ele, era onde os casais masculinos faziam votos um para o outro.

O dialeto local de Tebas também usou o nome de Iolau em sua palavra para o ginásio. Por matar o monstro Hidra e outros feitos, ele era considerado importante o suficiente para que os jogos atléticos anuais fossem realizados em sua homenagem, pois eram em outros lugares para deuses e importantes heróis fundadores.

Isso pode sugerir que Iolau era originalmente um herói local que foi incorporado à mitologia de Hércules. Em Tebas e na ilha da Sardenha, ele teve muito mais importância do que apenas como o jovem cocheiro que ajudou a matar a Hidra de Lerna.

Resumindo

Iolau era sobrinho de Hércules, filho de seu meio-irmão gêmeo Íficles. Ele é mais conhecido por seu papel na derrota da Hidra de Lerna.

Enviado para enfrentar o monstro como um de seus trabalhos infames, Hércules não conseguiu superar sua capacidade regenerativa. Cada vez que ele cortava uma de suas cabeças, mais cresciam para continuar lutando contra ele.

Seu sobrinho Iolau acompanhou o herói como seu cocheiro. Foi ele quem teve a ideia de usar uma tocha para cauterizar as feridas, evitando que a Hidra de Lerna crescesse novas cabeças para substituir aquelas cortadas por Hércules.

Com sua ajuda, Hércules conseguiu derrotar o monstro. Por ter assistência, no entanto, o rei Euristeu recusou-se a dar-lhe crédito pela missão.

As aventuras de Iolau com Hércules continuaram após a derrota da Hidra. Ele se casou com a primeira esposa de seu tio, Megara e, segundo algumas fontes, estava com ele em sua morte.

O dramaturgo Eurípedes afirmou que Iolau protegeu os filhos de Hércules de Euristeu após a morte do herói. Mesmo na velhice, ele insistiu em lutar para defender os Heráclidas.

Iolau foi creditado, juntamente com nove dos filhos de Hércules, com o estabelecimento do primeiro assentamento na Sardenha. Lá, o local de seu túmulo foi transformado em um templo.

Em Tebas também, ele era visto como um herói mais influente do que a história da Hidra de Lerna sugere. Ele tinha um templo dedicado em sua homenagem, talvez como amante de Hércules, e jogos anuais eram realizados em seu nome.

Isso sugere que o personagem de Iolau pode ter se originado como um herói local. Sua história foi incorporada à de Hércules, mas ele teve seu próprio culto ao herói em muitas partes do mundo grego.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem