Fenrir, O Lobo Monstruoso da Mitologia Nórdica

Fenrir no nórdico antigo significa: “Aquele que habita nos pântanos”, é o mais famoso dos muitos lobos da mitologia nórdica. Sua importância para os escandinavos pré-cristãos é demonstrada por ele ser representado em numerosas pedras rúnicas sobreviventes, sem mencionar sua onipresença nas fontes literárias nórdicas antigas.

No mito, ele aparece enorme e peludo. E ele tem dentes afiados como navalhas. O lobo Fenrir era tão temível que, quando abria a boca, suas mandíbulas se estendiam da Terra ao Paraíso.

Ele é filho do enigmático deus Loki e da giganta Angerboda, o que o torna irmão da serpente Jörmungandr e da deusa do submundo Hela (Hel ou Hell). Parecia que Fenrir e sua família tinham o sangue do pecado correndo em suas veias.

As pessoas também chamam Fenrir de Deus da Destruição. Isso é atribuído às profecias agourentas que diziam que Fenrir colocaria todo o cosmos na chama do sangue e da guerra e que ele mataria também Odin, o pai de todos.

Os deuses Aesir criaram Fenrir para mantê-lo sob seu controle e impedi-lo de causar estragos nos Nove Mundos. Ele cresceu em um ritmo surpreendentemente rápido, entretanto, e eventualmente os deuses problemáticos decidiram acorrentá-lo. Suas duas primeiras tentativas foram malsucedidas; enquanto os astutos deuses convenceram Fenrir de que era apenas um jogo, um teste para sua força, ele rompeu os grilhões com facilidade.

Para sua terceira tentativa, os deuses fizeram com que os anões forjassem a corrente mais forte já construída, que, no entanto, dava a impressão de ser muito leve e até macia ao toque. Quando os deuses presentearam Fenrir com esse terceiro grilhão, ele ficou desconfiado e se recusou a ser vinculado a ele, a menos que um dos deuses enfiasse a mão em sua boca como garantia de boa-fé.

Só Tyr foi corajoso o suficiente para fazer isso, sabendo que isso significaria a perda de sua mão. E, com certeza, quando Fenrir se viu incapaz de se libertar de suas amarras, ele arrancou a mão de Tyr de seu braço. A corrente foi então amarrada a uma pedra e uma espada foi colocada nas mandíbulas de Fenrir para mantê-las abertas. Enquanto ele uivava selvagem e incessantemente, um rio espumoso chamado “Expectativa” (nórdico antigo; Ván) fluía de sua boca salivante.

Como o nome sinistro do rio indica, este não foi o fim de Fenrir. No Ragnarok, ele se libertará e correrá pelo mundo com a mandíbula inferior contra o solo e a superior no céu, devorando tudo em seu caminho. Ele vai até mesmo matar o deus Odin antes de finalmente ser morto por um dos filhos vingadores de Odin.

Fenrir, O Lobo Monstruoso da Mitologia Nórdica

Fenrir e Outros Lobos na Mitologia Nórdica

Há boas razões para pensar que muitos dos outros lobos mencionados na literatura nórdica antiga são, na verdade, Fenrir usando nomes diferentes. Um antigo poema nórdico afirma que ele engolirá o sol durante o Ragnarok, uma façanha que está reservada em outro lugar para outro lobo chamado Skoll (“Zombaria”).

Outro poema em nórdico antigo menciona repetidamente um lobo chamado Garm ou Garme que se libertará das correntes em Ragnarok; é bem possível que Fenrir tenha um nome diferente. Em outra fonte, encontramos o lobo que consumirá a lua chamada pelo nome de “Moon-garm” (Mánagarmr). Assim, o lobo comedor da lua, que em outro lugar é chamado de Hati (“Ódio”) poderia ser outra extensão de Fenrir - ou pelo menos de Garm, se Garm não for uma extensão de Fenrir.

Talvez os vikings pensassem que, em última análise, Fenrir é quem, além de matar Odin e destruir grande parte do mundo, comerá o sol e a lua durante o Ragnarok. Mas esses lobos nunca são precisamente delineados nas fontes primárias, então, somos deixados para adivinhar qual é exatamente a relação entre eles.

Para aqueles que admiravam e louvavam Odin e os deuses, Fenrir era obviamente um monstro e as pessoas nunca o veriam como um Deus. Mas no sentido moderno, Fenrir não era tão mau. Muitas pessoas explicam que Fenrir junto com o gigante e outros seres estavam insatisfeitos com o governo dos Deuses que também perpetraram más ações, como quebra de promessa.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem