O enigmático deus Loki é, sem dúvida, a figura mais debatida da mitologia nórdica até hoje. Embora ele pareça ser uma divindade maquinadora e travessa que não tem nenhuma lealdade real, os estudiosos ainda exploram qual pode ter sido seu propósito nas histórias antigas. Ele pretendia ser apenas um artifício da trama e um contraponto para o Aesir, o panteão dos deuses na religião nórdica?

Seu personagem certamente significava mais para os escandinavos não-cristãos do que pode ser percebido agora, e embora esse propósito não possa ser totalmente realizado devido à falta de fontes suficientes, uma visão geral de quem era Loki e o que ele fez pode ser vagamente delineada.

O Enigmático Deus Loki na Mitologia Nórdica

Quem Foi Loki?

De acordo com Gylfaginning na Edda em Prosa, Loki era filho de Fárbauti, um jötunn (gigante), e de Laufey, um deus feminino menos conhecido. Sua herança jötunn ajuda a explicar a complexidade de seu personagem, já que os jötunns já foram para a guerra contra os Aesir e são considerados, em muitos aspectos, seus inimigos. Loki, tanto como filho de um gigante quanto de uma deusa, está entre as duas facções em conflito, uma característica que atormenta seu personagem em toda a sua mitologia.

Ele se casa com a deusa menor Sigyn, mas tem muitos casos, o mais notável com a giganta Angerboda, com quem dá à luz Hel, a rainha de Niflheim; Fenrir, o lobo gigante que está fadado a matar Odin em Ragnarök; e Jörmungandr, a Serpente banida para os mares. O deus trapaceiro também, curiosamente, é a mãe do grande corcel de oito patas de Odin, Sleipnir, enquanto Loki se acasalava com um poderoso garanhão macho disfarçado de égua.

Como sua linhagem e sua progênie estão todos fora do estado normal das coisas - mesmo no mundo divino - os estudiosos acreditam que deve ter havido pertinência à sua conexão com tantas figuras sombrias e poderosas no panteão nórdico.

A Complexa Relação Entre Loki e Thor

O relacionamento de Loki com os outros deuses é o que causa a maior parte da preocupação e confusão na erudição moderna. Ele não é mostrado como um deus totalmente mau, embora pareça ter grande prazer em enganar ou insultar o Aesir. Um dos exemplos mais notáveis ​​é sua relação flutuante com Thor, conforme registrado em dois poemas diferentes, ambos do Codex Regius, que abriga a Edda Poética.

"Lokasenna" conta sobre quando Thor chega ao grande salão do deus do mar Aegir e imediatamente fica incomodado com Loki e suas travessuras. Três vezes Thor ameaça silenciar Loki com seu martelo Mjolnir, e três vezes Loki insulta a ele e Odin. No final do conto, Loki foge de cena, escondendo-se do Aesir por suas palavras duras, apenas para ser encontrado e capturado, e amarrado à rocha onde permanecerá até Ragnarök.

"Þrymskviða ou Thrymskvida", em contraste, detalha Thor e Loki em termos mais amigáveis, já que é Loki a quem Thor recorre em busca de ajuda quando Mjolnir, seu poderoso martelo, desaparece. Loki é a primeira pessoa que Thor procura, e juntos eles trabalham para descobrir qual deus ou criatura mágica roubou a arma. Loki sai de seu caminho para viajar para Jotunheim ou Jötunheimr, a casa dos gigantes, para perguntar ao jötunn Thrymr ou Þrymr o que ele sabe, apenas para descobrir que o próprio Þrymr levou Mjolnir e só vai devolvê-lo se Freyja concordar em se casar com ele. Neste conto, Loki e Thor recuperam o martelo com um plano inteligente de disfarce, e Þrymr é punido por seus crimes.

Legado de Loki

Embora essas sejam apenas duas das muitas histórias que descrevem Loki, esses contos sobre sua associação com Thor revelam o amplo espectro de sua personalidade e, portanto, por que suas representações nas antigas sagas nórdicas estão em conflito constante. Assim como os estudiosos modernos não entendem totalmente o papel de Loki, os autores cristãos que finalmente escreveram a tradição oral não parecem compreendê-lo bem o suficiente para saber como descrevê-lo.

Embora Loki não seja retratado como completamente mau nem totalmente útil, ele lutará contra os Aesir durante Ragnarök e, eventualmente, matará e será morto por Heimdallr, o deus que guarda a ponte arco-íris Bifrost, que leva ao mundo dos mortais. Loki parece não se arrepender de suas ações ou simpatia pelos membros de sua família - Hel, Jörmungandr e Fenrir - enfatizando assim a anomalia de seu relacionamento com os Aesir.

Com base neste esboço da personalidade e história de Loki apenas, não é surpreendente que a natureza e o propósito de seu personagem ainda sejam desconhecidos e debatidos entre os estudiosos modernos. Parece não haver nenhuma razão aparente para seus traços de personalidade variados, e muito menos uma indicação de seus motivos.

As intenções de Loki na antiga tradição nórdica estão perdidas agora, ou ainda não foram encontradas, mas ele ainda continua sendo a figura mais intrigante do panteão nórdico para debater e considerar. O legado de Loki de polêmica e empolgação vive em inúmeras histórias e filmes, com seu papel no Universo Cinematográfico da Marvel sendo talvez o mais icônico para as pessoas atualmente.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem