Neite - Criadora do Universo na Mitologia Egípcia

Neite era uma das divindades mais antigas do panteão egípcio, conhecida como a deusa da criação. Ela também é a deusa das artes domésticas e da guerra, mas esses são apenas alguns de seus muitos papéis.

Neite ou Neith era conhecida principalmente por ser a criadora do universo com tudo nele e por possuir o poder de controlar o modo como ele funciona. Aqui está a história de uma das divindades mais poderosas e complexas da mitologia egípcia.

Neite - Criadora do Universo na Mitologia Egípcia

Quem Foi Neite?

Neite, conhecida como o ‘Primeira’, era uma deusa primordial que simplesmente passou a existir. De acordo com algumas fontes, ela foi totalmente autogerada. Seu nome é soletrado de várias maneiras, incluindo Net, Nit e Neith e todos esses nomes carregam o significado de "a terrível" por causa de sua imensa força e poder. Ela também recebeu vários títulos, como ‘Mãe dos Deuses’, ‘A Grande Deusa’ ou ‘Avó dos Deuses’.

De acordo com as fontes antigas, Neite  teve muitos filhos, incluindo os seguintes:

  • - o deus que criou tudo o mais. A história conta que ele assumiu de onde sua mãe parou e completou a criação.
  • Isis - a deusa da lua, vida e magia
  • Hórus - o deus com cabeça de falcão
  • Osíris - o deus dos mortos, ressurreição e vida
  • Suco ou Sobeque (Sobek) - o deus crocodilo
  • Apófis - alguns mitos sugerem que Neite  pode ter criado Apófis, a serpente, cuspindo nas águas de Nun. Apófis mais tarde se tornou inimiga de Rá.

Estes foram apenas alguns dos filhos de Neite, mas a lenda diz que ela teve muitos outros. Embora ela tivesse dado à luz ou criado filhos, ela era considerada uma virgem para a eternidade que tinha o poder de procriar sem qualquer assistência masculina. No entanto, alguns mitos a consideram a esposa de Sobek em vez de sua mãe, enquanto em outros ela era a esposa de Quenúbis (Khnum), o deus egípcio da fertilidade.

Representações e Símbolos de Neite

Embora Neite  seja considerada uma deusa feminina, ela aparece principalmente como uma divindade andrógina. Como ela desempenhou muitos papéis, ela foi retratada de muitas maneiras diferentes. No entanto, ela era tipicamente representada como uma mulher segurando o cetro (que significava poder), o Ankh (um símbolo da vida) ou duas flechas (associando-a à caça e à guerra). Ela também foi frequentemente vista usando a coroa do Baixo e do Alto Egito, simbolizando a unidade do Egito e o poder sobre toda a região.

No Alto Egito, Neite era retratada como uma mulher com cabeça de leoa, que simbolizava seu poder e força. Quando aparecia como mulher, suas mãos e rosto geralmente eram verdes. Às vezes, ela era retratada dessa forma com um bebê crocodilo (ou dois) amamentando seu seio, o que lhe valeu o título de ‘Enfermeira dos Crocodilos’.

Neite  também está associada a vacas e, quando representada na forma de uma vaca, ela é identificada com Hathor e Nut. Ela às vezes é chamada de Vaca do Céu, o que reforça seu simbolismo como criadora e nutridora.

O símbolo principal de Neite  consistia em um escudo com duas setas cruzadas sobre ele. Na arte egípcia, este símbolo pode ser visto colocado no topo de sua cabeça. Outro símbolo menos conhecido era a caixa do arco, que às vezes também era vista em sua cabeça no lugar de uma coroa. Ela foi fortemente associada a esses símbolos durante o período pré-dinástico, quando desempenhou um papel importante como a deusa da guerra e da caça.

O Papel de Neite na Mitologia Egípcia

Na mitologia egípcia, Neite  desempenhou vários papéis, mas seu papel principal foi a criadora do universo. Ela também era a deusa da tecelagem, das mães, do cosmos, da sabedoria, da água, dos rios, da caça, da guerra, do destino e do parto, para citar alguns.

Ela presidia ofícios como guerra e feitiçaria e parecia favorecer tecelões, soldados, artesãos e caçadores. Os egípcios frequentemente invocavam sua ajuda e suas bênçãos em suas armas quando iam para a batalha ou para caçar. Neite  também frequentemente participava de guerras devido às quais era chamada de ‘Senhora do arco, Governante das flechas’.

Além de todos os seus outros papéis, Neite também era uma deusa funerária. Assim como deu vida à humanidade, ela também presenciava a morte de uma pessoa para ajudá-la a se ajustar à vida após a morte. Ela vestia os mortos com tecido e os protegia atirando flechas em seus inimigos. Durante os primeiros tempos, as armas eram colocadas em tumbas para proteger os mortos dos espíritos malignos e era Neite quem abençoava essas armas.

Neite também guardava o caixão funerário do faraó com a deusa Ísis e era responsável por tecer os envoltórios de múmia. As pessoas acreditavam que esses invólucros de múmia eram seus presentes e os chamavam de "os presentes de Neite".

Neite  era uma juíza sábia e justo dos mortos e desempenhava um papel importante na vida após a morte. Ela também era uma das quatro deusas, junto com Néftis, Isis e Serquete, que eram responsáveis ​​por guardar o falecido, os quatro filhos de Hórus, bem como os jarros canópicos.

Como muitas das divindades egípcias, os papéis de Neite evoluíram gradualmente ao longo da história. Durante o Novo Império, seu papel como deusa funerária especialmente associada à caça e à guerra tornou-se muito evidente.

De acordo com os mitos, foi Neite  quem surgiu com uma solução sobre quem deveria se tornar o rei do Egito depois de Osíris. Sua sugestão foi que Hórus, filho de Osíris e Ísis, deveria suceder a seu pai, já que ele era o herdeiro legítimo do trono. Embora a maioria concordasse com ela, Seth, o deus dos desertos, não gostou do acordo. No entanto, Neite o compensou permitindo que ele tivesse duas deusas semíticas para si, com o que ele finalmente concordou e assim o assunto foi resolvido. Neite  era frequentemente aquela a quem todos, humanos ou deuses, procuravam sempre que precisavam resolver qualquer conflito.

Como a deusa das artes domésticas e da tecelagem, Neite  também era uma protetora do casamento e das mulheres. As pessoas acreditavam que todos os dias, ela iria refazer o mundo inteiro em seu tear, arranjando-o ao seu gosto e consertando tudo o que ela achasse que estava errado com ele.

Culto e Adoração de Neite

Neite  era adorada em todo o Egito, incluindo em Mênfis, mas seu principal centro de culto era em Saís ou Sa el-Hagar, a capital, onde um grande templo foi construído e dedicado a ela. Seu símbolo, o escudo com as setas cruzadas, tornou-se o emblema de Saís. O clero de Neite era feminino e, de acordo com Heródoto, seu templo era um dos maiores e mais impressionantes já construídos no Egito.

As pessoas que visitavam o templo de Neite em Saís não tinham permissão para entrar. Eles só eram permitidos nos pátios externos e ali a adoravam diariamente com desfiles de lanternas e sacrifícios, pedindo sua ajuda ou agradecendo por tê-las brindado.

Todos os anos, o povo celebrava um festival conhecido como "Festa das Lâmpadas" em homenagem à deusa Neite. Pessoas saiam de todos os cantos do Egito para prestar seus respeitos, orar e apresentar suas ofertas a ela. Aqueles que não iam acendiam lâmpadas em outros templos, nos palácios ou em suas casas, mantendo-as acesas a noite toda sem permitir que morressem. Era uma bela vista, já que todo o Egito era iluminado com luzes coloridas em comemoração. Este era considerado um dos festivais mais importantes do antigo Egito, celebrado em homenagem a uma divindade.

Fatos Sobre Neite

Do que Neite era deusa? Neite  era a deusa mãe da guerra, tecelagem, caça, água e vários outros domínios. Ela é um dos deuses mais antigos do panteão egípcio.

O que significa o nome Neite? Neite  é derivado da antiga palavra egípcia para água.

Quais são os símbolos de Neite? Os símbolos mais proeminentes de Neite são setas cruzadas e um arco, bem como uma caixa de arco.

Concluindo

Como a mais velha de todas as divindades egípcias, Neite era uma deusa inteligente e justa que desempenhou um papel significativo nos assuntos dos mortais e deuses, bem como no Mundo Inferior. Ela manteve o equilíbrio criando vida enquanto sempre estava presente na vida após a morte, ajudando os mortos a seguir em frente. Ela continua sendo uma das divindades mais importantes e respeitadas da mitologia egípcia.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem