Heqet - Deusa Rã Egípcia

Heqet, também conhecida como "Deusa Rã", era a deusa egípcia da fertilidade e do parto. Ela era uma das deuses mais importantes do panteão egípcio e era frequentemente identificada com Hathor, deusa do céu, da fertilidade e das mulheres.

Heqet (Heqat, Heket, Hekt, Hegit, Heget) era geralmente descrita como uma rã, um antigo símbolo de fertilidade e era muito venerada pelos mortais. Aqui está a história dela.

Origens de Heqet

Heqet era filha do deus sol, Rá, o deus mais importante do panteão egípcio. No entanto, a identidade de sua mãe permanece desconhecida. Heqet também era consorte de Khnum, o deus da criação e ela teve um filho com ele, chamado Her-ur, que mais tarde se tornou o deus da realeza e do céu. De acordo com algumas fontes, Heqet era considerada a esposa de Hórus, o mais velho, que era um deus egípcio do céu.

Diz-se que o nome de Heqet se originou do nome da deusa grega da bruxaria, Hécate. Embora o significado real de seu nome não seja claro, alguns acreditam que ele foi derivado da palavra egípcia "heqa", que significa "cetro" ou "governante".

Heqet - Deusa Rã Egípcia

Representações e Símbolos de Heqet

Um dos cultos mais antigos do Egito Antigo era a adoração ao sapo. Acredita-se que todas as divindades sapo tiveram um papel importante na formação e criação do mundo. Antes da inundação (a inundação anual do rio Nilo), as rãs começariam a aparecer em grande número devido ao que mais tarde foram associadas à fertilidade e ao início da vida na terra. Heqet costumava ser retratada na forma de um sapo, mas também é retratado como uma mulher com cabeça de sapo, segurando facas na mão.

Na história dos trigêmeos, Heqet aparece como um sapo com varinhas de marfim que se pareciam mais com bumerangues do que com as facas que usamos hoje. As varinhas deveriam ser usadas como varas de arremesso, em vez de para cortar. Acreditava-se que se essas varinhas de marfim fossem usadas em rituais, elas atrairiam energia protetora ao redor do usuário durante os momentos perigosos ou difíceis.

Os símbolos de Heqet incluem o sapo e o Ankh, com os quais ela às vezes é representada. O Ankh significa vida e também é considerada um dos símbolos de Heqet, já que dar uma nova vida às pessoas foi um de seus papéis principais. A própria deusa é considerada um símbolo de fertilidade e abundância.

O Papel de Heqet na Mitologia Egípcia

Além de ser a deusa da fertilidade, Heqet também era associada à gravidez e ao parto. Ela e o marido muitas vezes trabalharam juntos para trazer vida ao mundo. Khnum usaria a lama do rio Nilo para esculpir e formar corpos humanos em sua roda de oleiro e Heqet daria vida ao corpo, após o que colocaria a criança no útero de uma mulher.

Portanto, Heqet tinha o poder de trazer o corpo e o espírito à existência. Juntos, Heqet e Khnum foram responsáveis ​​pela criação, formação e nascimento de todos os seres vivos.

Outro dos papéis de Heqet foi o papel de uma parteira na mitologia egípcia. Em uma história, o grande deus Rá enviou Heqet, Meskhenet ou Mesquenete  (a deusa do parto) e Ísis (a deusa Mãe) para a câmara real de nascimento de Ruddedet, a mãe real.

Ruddedet estava prestes a dar à luz trigêmeos e cada um de seus filhos estava destinado a se tornar faraó no futuro. As deusas se disfarçaram de dançarinas e entraram na câmara de parto para ajudar Ruddedet a dar à luz seus bebês com segurança e rapidez.

Heqet agilizou o parto, enquanto Ísis deu nomes aos trigêmeos e Meskhenet previu seu futuro. Após esta história, Heqet recebeu o título de ‘Aquela que apressa o nascimento’.

No mito de Osíris, Heqet era considerada uma deusa dos momentos finais do nascimento. Ela deu vida a Hórus quando ele nasceu e, mais tarde, este episódio foi associado à ressurreição de Osíris. Desde então, Heqet também foi considerada a deusa da ressurreição e muitas vezes foi retratada em sarcófagos como uma protetora.

Culto e Adoração de Heqet

O culto de Heqet começou no início do período dinástico e as estatuetas de sapo criadas naquela época eram consideradas representações da deusa.

Como ela estava associada à ressurreição, as pessoas começaram a fazer amuletos de Heqet com a cruz cristã e com as palavras "Eu sou a ressurreição" durante a era cristã.

As mulheres grávidas usavam amuletos de Heqet na forma de um sapo, pousado sobre uma folha de lótus, pois acreditavam que a deusa iria manter elas e seus bebês seguros durante toda a gravidez. Eles continuaram a usá-los durante o parto também, na esperança de um parto rápido e seguro.

Resumindo

A deusa Heqet era uma divindade importante na mitologia egípcia, especialmente para mulheres grávidas, mães, parteiras, plebeus e até rainhas. Sua associação com fertilidade e parto fez dela uma divindade importante durante a antiga civilização egípcia.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem