Quem Foi Aceso na Mitologia Grega?

Aceso era uma das cinco deusas que personificavam a cura, então o que a diferenciava de suas irmãs? Leia mais para saber mais sobre as filhas de Asclépio e o misterioso trabalho de Aceso!

A medicina era muitas vezes uma arte grosseira no passado. Baseava-se fortemente na superstição, oração e destino.

Os povos antigos não eram inteiramente desprovidos de conhecimento médico. Ao longo da história humana, eles aprenderam algumas técnicas para evitar doenças e tratamentos que muitas vezes eram notavelmente eficazes.

Estes foram misturados, no entanto, com tratamentos muito menos úteis. Enquanto alguns remédios antigos são quase cômicos agora, outros podem servir ao oposto de seu propósito pretendido e, inadvertidamente, piorar os problemas que eles tentaram resolver.

Os gregos, porém, reconheciam os limites de seu conhecimento médico. Além dos deuses, eles acreditavam que a observação, a experimentação e o diagnóstico eram elementos essenciais para encontrar as curas mais eficazes para doenças e ferimentos.

Nessa busca, eles foram inspirados por seu lendário primeiro médico. Asclépio ou Esculápio tornou-se um deus para que pudesse continuar transmitindo conhecimento médico à humanidade.

Ele foi auxiliado por suas cinco filhas, que representaram diferentes aspectos de seu trabalho. Uma vez que um remédio era dado ou um tratamento administrado, a recuperação de uma pessoa estava nas mãos de Aceso, a deusa da cura.

Quem Foi Aceso na Mitologia Grega?

Aceso e os Deuses da Cura

Na mitologia grega, Aceso era uma das filhas do deus médico Asclépio ou Esculápio.

Asclépio era filho de Apolo. Quando sua mãe morreu, Apolo teve um papel ativo na educação de seu filho.

Asclépio aprendeu a cura divina com seu pai. Quando ele foi enviado para estudar com o centauro Quíron, ele aprendeu mais sobre a cura de ervas.

Asclépio dedicou-se ao estudo da medicina e logo superou o conhecimento de seu mentor. Ele se tornou o primeiro verdadeiro médico do mundo.

Enquanto viajava pelo mundo para aprender mais sobre medicina, Asclépio ou Esculápio também ensinava às pessoas o que havia descoberto. Isso permitiu que a prática da medicina se espalhasse e os primeiros médicos fossem formados.

Entre estes estavam os filhos de Asclépio. Ele lhes ensinou o que sabia e os encorajou a fazer suas próprias observações para melhorar seus métodos.

À medida que Asclépio se tornava mais habilidoso e o conhecimento médico se espalhava cada vez mais, os deuses começaram a notar seu trabalho. De acordo com uma fonte, Hades temia que o Mundo Inferior ou submundo parasse de receber almas porque o médico era tão eficaz em evitar a morte.

Eventualmente, no entanto, Asclépio cruzou os limites da capacidade humana e infringiu os poderes dos deuses. Aprendendo o segredo da reencarnação de uma cobra, ele ganhou a habilidade de trazer os mortos de volta à vida.

Isso violava a ordem natural do universo e perturbava o ciclo essencial de vida e morte. Os deuses não podiam permitir que Asclépio ou Esculápio continuasse trazendo os mortos de volta à vida, então Zeus não viu escolha a não ser derrubá-lo.

Apolo, no entanto, ficou furioso com a morte de seu filho. Ele retaliou matando os ciclopes e foi punido por Zeus.

Quando ambos os deuses tiveram tempo para refletir, no entanto, Zeus estava mais aberto a ouvir os pedidos de clemência de Apolo. Asclépio infringiu uma lei, mas também fez muito para beneficiar a humanidade.

Zeus finalmente concordou que Asclépio era mais útil do que ameaçador. Ele concordou em conceder-lhe a imortalidade e torná-lo um deus do Monte Olimpo.

Asclépio tornou-se o deus da medicina e o patrono dos médicos. Seus templos eram locais de cura onde as doenças eram diagnosticadas tanto por conhecimento médico quanto por intervenção sobrenatural.

Asclépio casou-se com Epione, cujo nome significava “calmante”. Os historiadores a interpretam como uma personificação do cuidado dispensado aos doentes ou feridos.

Junto com seus filhos, Asclépio e Epione tiveram cinco filhas. Cada uma delas personificava um aspecto diferente da área médica e os ensinamentos de seu pai.

Hígia ou Higeia era a deusa da saúde contínua e da prevenção de doenças. Ela acabou sendo associada à limpeza, nos dando a palavra “higiene”.

O nome de Panaceia significava “medicina universal”. Ela representava a cura para todas as doenças.

Sua irmã Iaso tinha um domínio semelhante, mas seus poderes eram mais focados. Em vez de uma cura universal, ela representava remédios específicos.

Aegle, ou “Brilho”, é geralmente interpretado como o ponto culminante da cura. Ela personificava a vitalidade de um corpo saudável.

Finalmente, Aceso era a deusa do processo de cura. Seu domínio era o mais complexo e, de certa forma, o mais vital das irmãs.

Interpretação Moderna

Ao contrário de Panaceia e Iaso, Aceso não personificava a cura de uma doença ou o tratamento de uma lesão. Em vez disso, ela representava o processo de cura como um todo.

Isso se aplicava tanto ao trabalho do médico quanto aos processos físicos envolvidos.

Aceso influenciava os médicos no tratamento de seus pacientes. Quando um remédio simples era tudo o que era necessário para curar um paciente, suas irmãs assumiam o controle, mas para tratamentos demorados Aceso estava à disposição.

Como a deusa de um processo e não de uma única ação, Aceso representava o trabalho que era necessário para tratar um paciente. Para casos mais complicados, isso pode envolver dias ou até semanas de supervisão e cuidados constantes de um médico e seus assistentes.

Aceso era mais importante, no entanto, para o próprio paciente.

Para eles, Aceso personificava a cura pela qual seu corpo passava para se recuperar de uma doença ou lesão. Todo o processo, desde o primeiro sinal de doença até o retorno à saúde plena, ficou sob o domínio de Aceso.

Ela era a deusa que trazia a pele de volta e a selava com um novo crescimento para curar ferimentos. Ela era o processo de ossos se unindo lentamente, músculos recuperando sua força e cicatrizes físicas desaparecendo.

No caso de doença, seu trabalho era menos visível, mas igualmente importante.

As pessoas do mundo antigo não entendiam os processos pelos quais o corpo combate a doença e se recupera. Embora agora entendamos como o sistema imunológico responde a doenças e o corpo pode ser restaurado depois, isso era desconhecido até há relativamente pouco tempo.

Para os gregos antigos, portanto, isso parecia um processo místico. Se as doenças eram causadas por espíritos malévolos ou maldições, eles acreditavam, uma deusa bondosa tinha que ter poder sobre a recuperação delas.

Como deusa do processo de cura, Aceso era a mais ativa de suas irmãs. Em vez de trabalhar em uma cura imediatamente efetiva ou na manutenção passiva da saúde existente, ela supervisionava os meios complexos e misteriosos pelos quais o corpo se curava e se recuperava até mesmo das doenças e lesões mais complexas.

Resumindo

Na mitologia grega, Aceso era uma das filhas de Asclépio. Ela e suas irmãs personificavam diferentes aspectos das práticas de seu pai.

Asclépio foi o primeiro médico da Grécia e o patrono da medicina. Como filho de Apolo e discípulo de Quíron, ele aprendeu cura com os maiores especialistas antes de começar a aumentar seu conhecimento.

Ele foi o primeiro a ensinar aos outros o que havia aprendido e logo espalhou o conhecimento médico pelo mundo. Em sua busca constante por novos tratamentos, ele até descobriu uma maneira de ressuscitar os mortos.

Embora isso inicialmente tenha causado conflito com os deuses, Zeus acabou reconhecendo o valor do médico. Ele recebeu a imortalidade e continuou seu bom trabalho.

Suas filhas o ajudaram nisso. Cada uma representava um aspecto diferente da saúde e da medicina.

Aceso era a deusa do processo de cura. Ela personificava o ato de curar, tanto no trabalho do médico quanto nos processos físicos sofridos pelo corpo.

Sem o conhecimento médico moderno, as maneiras pelas quais o corpo lutava contra doenças ou se recuperava de lesões eram misteriosas. Aceso colocou esse processo nas mãos de uma deusa carinhosa e capaz.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem