Porque os Deuses Gregos Masculinos Eram Tão Semelhantes?

Os três principais deuses masculinos do panteão grego – Zeus, Poseidon e Hades – eram incrivelmente semelhantes. Isso apenas porque eles eram irmãos, ou há uma razão mais profunda para suas semelhanças?

{getToc} $title=

Segundo a lenda, os três filhos de Cronos dividiram o universo uniformemente quando derrotaram seu pai. Zeus tornou-se o rei do céu, Poseidon governava o mar e Hades governava o submundo.

Enquanto Zeus era considerado seu líder, os três irmãos tinham níveis semelhantes de poder e autoridade na prática.

Não apenas diferiam pouco em seu nível de autoridade, mas os três deuses também eram semelhantes em outros aspectos. Eles tinham representações semelhantes na arte, exibiam temperamentos semelhantes e até tinham vidas amorosas e filhos semelhantes.

As semelhanças entre os três principais deuses gregos podem ser atribuídas às convenções de mostrar poder. Pode haver outra razão pela qual eles quase parecem o mesmo deus, no entanto.

Porque os Deuses Gregos Masculinos Eram Tão Semelhantes?

Os Deuses Masculinos Relacionados na Mitologia Grega

A maioria dos deuses e deusas gregos tinha certos símbolos e atributos com os quais eram frequentemente retratados. Isso ajudou a torná-los imediatamente identificáveis, mesmo quando não havia contexto de uma história.

Atena, por exemplo, sempre carregava sua égide e usava capacete. Hermes carregava o cajado dos arautos e usava suas famosas sandálias aladas.

Para três dos deuses mais importantes da mitologia grega, esses atributos eram muitas vezes a única maneira real de diferenciá-los.

Zeus, Poseidon e Hades eram irmãos. Quando eles tomaram o controle do universo de seu pai, eles dividiram os reinos do mundo entre si.

Zeus tornou-se o rei do céu, bem como o principal deus dos olimpianos. Poseidon era o senhor do mar. Hades tinha domínio sobre o submundo.

Zeus e Poseidon eram tipicamente identificados por suas armas mais poderosas. Zeus carregava seus famosos raios enquanto Poseidon segurava seu tridente icônico.

Hades foi retratado com menos frequência na arte, então seu simbolismo não foi tão estabelecido. Ele era frequentemente identificado pela inclusão de Cérbero, o cão de três cabeças que guardava seu reino.

Pistas de contexto semelhantes também ajudaram a identificar seus irmãos. A vida marinha normalmente cercava Poseidon, enquanto Zeus costumava sentar-se em seu trono na companhia de outros deuses.

Sem esses atributos, no entanto, seria praticamente impossível distinguir os três deuses masculinos.

Os deuses gregos masculinos geralmente eram mostrados quase exatamente da mesma maneira. Seus atributos eram a única maneira confiável de dizer qual deus foi mostrado se não houvesse inscrição.

Os filhos de Cronos geralmente eram mostrados como tendo barbas grossas e cheias. Embora a moda tenha mudado ao longo do tempo, eles eram mais frequentemente mostrados com cabelos mais longos.

Nas cenas de batalha, os deuses eram frequentemente mostrados nus ou com a armadura da época, mas usavam mantos semelhantes de estilo nobre. Todos os três, como senhores de seus reinos, costumavam sentar-se em tronos.

Seus corpos eram musculosos, em contraste com a aparência ágil que era considerada o ideal em homens mais jovens. Os escultores, em particular, enfatizavam a definição nos músculos de seus torsos, pernas e braços.

Essas eram as formas idealizadas de homens mais velhos, destinadas a transmitir sabedoria e poder. Eles contrastaram os corpos idealizados de deuses e heróis mais jovens que eram tipicamente mostrados como magros, imberbes e ágeis.

Embora as convenções artísticas e a ênfase no ideal muitas vezes levassem muitas figuras a ter aparências semelhantes, os três deuses masculinos mais poderosos eram praticamente idênticos na forma como eram mostrados. Isso pode resultar de mais do que apenas as convenções da época.

Minha Interpretação Moderna

Zeus, Poseidon e Hades não apenas se pareciam. Eles também agiram de forma semelhante.

Os três irmãos olímpicos eram conhecidos por seu comportamento severo e temperamento explosivo. Zeus e Poseidon eram especialmente semelhantes no número de casos amorosos que tiveram e como os conduziram.

Hades, como um deus da morte, era geralmente considerado infértil. Enquanto ele tinha uma esposa, Perséfone, e havia algumas histórias dele amando certas ninfas, ele não tinha vontade de ter filhos.

Do ponto de vista das pessoas que escreveram os mitos, também não havia necessidade de conectar suas famílias e cidades ao Hades. Muitas histórias dos assuntos de Zeus e Poseidon envolviam a fundação de estados ou famílias governantes, mas poucas pessoas queriam ter uma ligação tão direta com o deus do submundo.

Zeus e Poseidon, no entanto, tiveram histórias de amor muito semelhantes. Ambos tiveram numerosos casos e filhos entre os deuses e os homens.

Os três deuses também eram semelhantes na extensão de seus poderes.

Segundo a lenda, os filhos de Cronos dividiram a criação entre si após a morte de seu pai. Zeus era o rei sobre todos eles, mas Poseidon e Hades governavam seus próprios reinos com quase nenhuma intervenção ou intervenção de seu irmão.

Embora houvesse uma hierarquia, Zeus não parecia ser mais poderoso que os outros. Raramente ele mostrava explicitamente que tinha mais autoridade.

Os três deuses masculinos pareciam e agiam da mesma forma, mas também tinham níveis semelhantes de poder. A única diferença real era em que reino eles governavam.

Os historiadores até observam que, em algumas histórias, os deuses parecem ter trocado de papéis.

No rapto de Europa, por exemplo, Zeus sequestra a bela princesa fenícia para torná-la sua amante. Em vez de voar com ela, como faz em outros mitos, ele nada até Creta com ela nas costas.

Como o deus do céu, seria mais lógico que Zeus voasse em sua forma de águia mais usual.

Nas outras lendas de Creta, Zeus está ausente. Em vez disso, Poseidon assume o papel do deus patrono de Minos, filho de Zeus. Ele até envia um touro branco como seu sinal de favor, o mesmo animal em que Zeus se transformou para tomar Europa.

Os historiadores acreditam que Poseidon foi originalmente o personagem principal em ambas as partes da história. O rapto de Europa foi parcialmente reescrito para fazer de Minos o filho de Zeus, mas outras interações com os deuses foram deixadas como estavam.

A história de Minos provavelmente se originou com a cultura de Creta. Chamado de Minoica depois dele, antecedeu a ascensão da Grécia micênica.

O deus do mar era provavelmente a principal divindade desta cultura insular. Zeus, por outro lado, foi levado para a região com os primeiros colonos de língua grega.

Quando esse povo grego assumiu o poder, seu deus tornou-se o chefe do panteão. Outros, como o poderoso deus minoico do mar, foram incorporados à mitologia grega.

Durante esse processo, alguns atributos e poderes foram negociados entre as tradições. Histórias e traços que pertenciam a um deus foram passados ​​para o outro.

Em última análise, os deuses derivaram da mesma fonte. As duas tradições se misturavam tão completamente que os deuses eram essencialmente os mesmos, com apenas seus domínios designados os destacando.

Para começar, os dois deuses provavelmente eram muito semelhantes. Embora seus domínios diferissem, como os principais deuses de seus panteões, eles provavelmente compartilhavam alguns dos marcadores de lei e regra que eram comuns em muitas religiões indo-europeias.

Os deuses micênicos e minóicos foram capazes de combinar tão bem porque vieram do mesmo arquétipo.

O resultado foi que Poseidon e Zeus foram homogeneizados em figuras quase idênticas. Eles não eram apenas irmãos, mas chefes de seus panteões que tinham muitos dos mesmos marcadores inatos de sabedoria, poder e vitalidade.

Na Grécia antiga, algumas pessoas reconheceram a relação na forma como os deuses se desenvolveram.

Muitos dos cultos de mistério do mundo antigo se concentravam nos segredos da vida após a morte e na relação entre a vida e a morte. Esse foco significava que figuras do Submundo como Perséfone eram centrais para suas crenças, e eles pensavam em muitos outros deuses como tendo laços com o reino dos mortos.

Uma história contada pelos cultos de mistério era que o deus Dionísio havia nascido duas vezes. O primeiro Dioniso, morto por despeito por Hera, era filho de Perséfone.

Os cultos ensinavam, no entanto, que não havia contradição ou escândalo em Zeus ter um filho com a esposa de seu irmão. Isso porque eles acreditavam que Zeus e Hades eram a mesma coisa.

Hades e Zeus não eram apenas semelhantes de acordo com esses cultos, eles eram o mesmo ser. Hades era simplesmente um aspecto de um dos muitos papéis de Zeus como o rei dos deuses.

O Zeus Ctônico viajava livremente de e para o Submundo. Ele governou tanto o Monte Olimpo quanto a terra dos mortos.

Embora os textos sobreviventes digam pouco sobre o mar, há algumas evidências de que os cultos de mistérios acreditavam que o mesmo era verdade para Poseidon. Ele era um aspecto de Zeus como o governante de outro reino.

Os antigos cultos de mistérios tinham pouco conhecimento de como diferentes deuses e domínios foram incorporados à mitologia ao longo de centenas ou milhares de anos. Eles ainda chegaram à mesma conclusão que muitos historiadores modernos, no entanto – que Zeus, Poseidon e Hades eram muito semelhantes para serem entidades totalmente separadas.

Resumindo

Os três principais deuses masculinos do panteão grego eram Zeus, Poseidon e Hades. Enquanto Zeus tinha alguma medida de autoridade sobre todos os outros deuses, na prática os três irmãos tinham níveis de poder praticamente idênticos.

Eles eram semelhantes de outras maneiras também. Suas características na arte eram quase inteiramente as mesmas, mostrando-lhes todos os atributos de idade e autoridade, em vez de juventude idealizada.

Zeus e Poseidon, em particular, tinham uma propensão semelhante para casos de amor e pais de vários filhos. Há até evidências em algumas histórias de que as histórias de seus casos às vezes eram confundidas.

Todos os três também tinham temperamentos e personalidades semelhantes. Além dos atributos de seus domínios, havia pouco para diferenciar os deuses gregos masculinos.

Embora isso seja parcialmente devido às convenções artísticas e narrativas, pode haver outra razão pela qual os deuses eram tão semelhantes.

Alguns historiadores acreditam que todos os três derivaram da mesma fonte. Todos seguiram os arquétipos indo-europeus de poder e lei.

Quando diferentes culturas se encontravam, seus deuses principais eram capazes de combinar e comercializar facilmente características porque já eram de um tipo semelhante. O deus do mar minoico pode ter sido o chefe de seu panteão, mas foi reformulado como irmão de um deus do céu micênico semelhante.

Alguns escritores antigos reconheceram as semelhanças. Eles acreditavam que Hades e Poseidon eram aspectos de Zeus cumprindo múltiplos papéis como governante.

Os cultos de mistério da Grécia antiga inadvertidamente atingiram um fato histórico – os principais deuses masculinos do panteão grego eram semelhantes entre si porque eram, essencialmente, o mesmo personagem.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de contato