Gungnir: A Lança de Odin e Uma Arma Icônica

Odin é frequentemente retratado com sua lança Gungnir, mas você sabe o quão importante essa arma realmente era? Continue lendo para descobrir mais sobre Gungnir, a arma mágica que Odin carregava para a batalha.

Não é incomum na mitologia nórdica ter muito poucas fontes que descrevam qualquer pessoa ou lugar. É por isso que pode ser surpreendente que tenhamos informações relativamente amplas sobre um item.

Os itens carregados pelos deuses, no entanto, eram obviamente muito importantes no mundo nórdico. Eles amplificavam os poderes dos deuses, simbolizavam seus papéis e os identificavam na arte.

Alguns dos itens mais importantes eram as armas dos deuses, os símbolos definitivos de seus poderes. Embora a arma de Odin possa ter parecido com uma lança comum, na verdade era um item poderoso que simbolizava seus poderes mágicos e seu papel como um deus guerreiro.

Gungnir: A Lança de Odin e Uma Arma Icônica

Gungnir: A Lança de Odin

Entre os itens mais importantes e icônicos da mitologia nórdica estavam as armas dos deuses. Esses itens mágicos tinham nomes e histórias de origem que às vezes são mais conhecidas do que os de muitos dos próprios deuses.

Uma das mais proeminentes dessas armas importantes era Gungnir, a lança de Odin.

Embora, como muitos aspectos da mitologia nórdica, existam relativamente poucos registros escritos sobre Gungnir, há uma riqueza de evidências arqueológicas. Muitas imagens de Odin o mostram segurando sua lança e, em alguns casos, é usada para identificar o deus principal em imagens ambíguas.

Era chamada de “A Balançante” pela forma como se movia na batalha. Enquanto as lanças comuns voavam em uma linha relativamente reta, Gungnir se movia e girava.

Isso porque sempre encontrava seu alvo. Não importa como fosse lançada, Gungnir se viraria de modo que acertasse o que quer ou quem quer que Odin visasse.

Além de suas propriedades mágicas, Gungnir também era considerada perfeitamente equilibrada. Isso aumentava ainda mais a capacidade de Odin de acertar qualquer alvo.

De acordo com a Edda Poética, Gungnir foi um dos itens valiosos que Loki trouxe de sua jornada para Svartalfheim.

Quando Loki maliciosamente cortou o cabelo dourado de Sif, ele foi até os anões para ter um substituto feito de ouro verdadeiro. Ele se reuniu com trabalhadores chamados Filhos de Ívaldi para criar um cabelo dourado mágico.

Enquanto Loki estava lá, ele notou uma lança incrível na oficina dos anões. Ele perguntou sobre ela e os Filhos de Ívaldi felizmente deram a ele como um presente para os deuses.

Loki voltou para Asgard com estes e outros presentes que ele apostou com os anões para criar. Os deuses ficaram tão satisfeitos com seus presentes que quase se esqueceram que Loki só os tinha recebido porque havia cometido uma ofensa contra a esposa de Thor.

Thor, Odin e Freyr receberam itens da viagem de Loki. Gungnir, a lança que inspirou Loki a coletar os itens, foi dada a Odin.

Mais tarde, na Edda Poética, a grande lança é mencionada novamente. Uma das Valquírias diz ao herói Sigurd que a ponta de Gungnir está inscrita com poderosas runas mágicas.

A Edda em Prosa também fala sobre a lança de Odin. Além de relatar a história de sua criação, o trabalho de Snorri Sturluson detalhou como a lança seria usada em Ragnarok.

Na última batalha dos deuses, Odin estava destinado a enfrentar Fenrir, a monstruosa prole de lobo de Loki. Ele usaria sua arma mais valiosa.

A Edda em Prosa descreve Odin cavalgando para a batalha com os Einherjar, os guerreiros de Valhalla. À frente do grande exército, ele estará usando um elmo dourado, uma impressionante capa de malha, e carregará Gungnir.

Embora Odin carregasse sua arma favorita para a batalha, Gungnir não seria o suficiente para deter o lobo terrível. Fenrir mataria Odin e todos os Einherjar antes de finalmente cair para o filho de Odin, Vidar ou Vídar.

Interpretação Moderna

Embora muitos dos deuses tivessem armas mágicas associadas a eles, Gungnir era particularmente importante.

Na Edda Poética, é feito um relato da primeira batalha entre os deuses Aesir e Vanir. Os dois grupos lutaram pela supremacia no início de sua história, embora tenham finalmente chegado a uma trégua que lhes deu status quase igual.

Quando a batalha começou, a Edda Poética diz que Odin lançou sua lança em um arco acima das forças opostas. A imagem de Odin jogando sua lança no início da batalha tornou-se uma das mais icônicas da cultura germânica.

Odin começou oficialmente a batalha jogando sua lança dessa forma, mas a ação também serviu a um propósito simbólico. Seus adoradores reencenariam aquele momento em suas próprias batalhas em honra de seu deus.

Quando os guerreiros da Era Viking entravam na batalha, eles frequentemente lançavam uma lança à frente e gritavam uma prece a Odin. Isso recriava sua própria ação e servia como uma dedicação a ele.

Ao lançar a lança, os guerreiros nórdicos consagravam o campo de batalha e o tornavam um local sagrado para Odin. Dedicar a batalha a ele significava que qualquer sangue derramado estaria em seu nome.

Desta forma, os guerreiros nórdicos usavam suas lanças para dar sacrifícios de sangue ao seu deus. Suas próprias mortes e as de seus inimigos agradariam a seu deus.

Odin era uma figura distinta na mitologia nórdica porque era um deus da magia e da guerra. A dedicação da lança homenageava a ambos mediante o uso de uma invocação mágica na batalha.

A lança que Odin lançou naquela primeira batalha quase certamente não era Gungnir. Visto que Freyr, um deus Vanir, estava presente em Asgard quando Loki trouxe Gungnir de Svartalfheim, Odin não possuía a lança até depois da guerra entre os deuses Aesir e Vanir.

Mas a lança mágica de Odin se tornou uma parte central de sua iconografia porque era um símbolo ainda mais poderoso de seu lugar no campo de batalha. Em vez de ser uma arma mundana usada para fins práticos, era uma ferramenta mágica que mostrava o comando total de seu dono sobre os locais de batalha.

Resumindo

Na mitologia nórdica, Gungnir era um dos itens mais poderosos pertencentes aos deuses. A lança de Odin, era perfeitamente equilibrada e magicamente encantada para que sempre acertasse seu alvo.

A lança de Odin foi feita pelos anões. Foi um dos presentes mágicos que Loki ganhou quando foi para Svartalfheim depois de roubar o cabelo de Sif.

A lança também foi descrita como estando presente em Ragnarok. Embora não tenha sido o suficiente para salvar a vida de Odin na última batalha, foi uma das armas mais icônicas a ser levada para a batalha.

Embora provavelmente não tenha sido a primeira lança usada por Odin, Gungnir também simbolizou suas ações na primeira grande batalha do mundo.

No início da Guerra Aesir-Vanir, Odin arremessou sua lança pelo campo de batalha e declarou que ela pertencia a ele. Os guerreiros da Era Viking imitaram essa ação para invocar Odin e fazer todo o sangue derramado durante a batalha um sacrifício em sua homenagem.

Embora Gungnir não fosse a lança usada naquela batalha, mostrar Odin com sua lança invocava a ideia de seu campo de batalha consagrado. A lança de Odin era um símbolo de seu poder tanto sobre a batalha quanto sobre a magia.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem